14 de janeiro de 2009

' Sou só eu que sinto isto?

Não quero tirar um curso só por tirar, arranjar emprego, progredir na carreira, casar, ter filhos, arranjar casa própria, criar os filhos, pagar as contas ao fim do mês, ser mãe e dona de casa e esperar a vida inteira para ter netos, repetir a história da mãe/avó-dona-de-casa outra vez e esperar pela morte. CREDO !!

Eu queria ter uma vida diferente... sentir-me especial e ÚNICA... detesto ser igual a alguém.. igual a toda a gente ! gostava de fazer alguma coisa de útil e diferente no mundo.. ser sempre livre e independente, sem ninguém no meu pé, na minha mão, ou debaixo das minhas saias... não quero casar, não quero ter um emprego comum e esperar que ele dure o mais possível.. não quero contar os trocos para viver ao fim do mês... a coisa mais próxima de vida-comum que eu queria ter era ter um filho/a (de preferência filha)... mas ser mãe solteira... e ía educá-la a ser como eu e a não querer resignar-se a uma vida comum... queria poder passar a vida a viajar pelo mundo... conhecer pessoas em todos os países e ter sempre sítio onde ficar fosse onde fosse... quero escrever poemas inesqueciveís, publicar livros, compôr músicas... deixar a MINHA MARCA onde quer que eu vá... gostava de ser a única no mundo a fazer algo, mas isso hoje em dia é difícil, faz-se de tudo ! ... já está tudo inventado...

ultimamente com esta história das frequências/exames e a viver em casa da minha avó e quando há merda com ele, penso... que não vou ser muito mais feliz se mudar de curso... não vou ser muito mais feliz quando mudar de casa... não sou muito mais feliz quando fazemos as pazes... são momentos de alegria e prazer momentâneos... é um 'está tudo bem por agora'... esse está tudo bem deveria ser para sempre e não por agora... não devia acordar todos os dias a pensar que não sou ninguém.. que sou só mais uma gota no oceano.. mais uma Cláudia, mais uma rapariga, mais uma morena, mais uma blogger, mais uma estudante universitária, mais uma que detesta a própria família porque só sofreu com ela, mais uma que de vez em quando escreve, mais uma que volta e meia tem boas notas... tudo o que quer que eu faça, sou APENAS MAIS UMA...

e é nesses momentos que penso.. que é que estou aqui a fazer? porque é que eu hoje perdi 12 horas do meu dia a dormir, outras 2 a estudar e as restantes a pensar neste assunto ? xD porque é que nos dois dias que a vida é.. eu tenho de passar um a pensar que amanhã acaba tudo e hoje não valeu de nada? é isso, não faz sentido !.. a pergunta é.. que é que estamos aqui a fazer?

e sabem o mais estúpido?? Tudo o que eu alguma vez possa fazer ou querer fazer... já alguém fez.. já alguém quis e eventualmente conseguiu. nunca serei pioneira em nada.

eu até podia ser genial, podia ser uma artista, podia descobrir ou fazer algo que mudasse a história da humanidade, o meu nome poderia ficar na história.. podia ser rica e passar a vida a viajar numa espécie de viajem de auto-conhecimento... podia passar a vida tanto a beber caipirinhas numa praia tropical, como a passear pela Fifth Avenue, como a comprar as roupas mais caras das lojas mais caras do mundo, como ir à Oprah todos os meses, como a tentar descobrir a cura para a SIDA, como a participar numa missão qualquer em África ou a fazer um estudo importante sobre sobrepopulação na Ásia... podia fazer tudo, do mais fútil ao mais solidário ao mais útil ... mas novamente iria ser apenas mais uma.. mais uma pessoa genial... mais uma artista... mais uma dondoca.. mais alguém que vai para África em missões.. mais uma a fazer estudos e a tentar descobrir cura para doenças raras... só mais uma.. isto faz-me sentir que a vida não tem sentido nenhum. estamos aqui só por estar até um dia morrermos!


Sou uma qualquer,
Não diferente de todas as outras
Quaisquer,
Nem diferente de qualquer
Nenhuma.

Sou uma qualquer,
Tão igual por ser diferente

Mas não diferente por ser igual
A qualquer igual ser,
Enfim,

Qualquer alguma.

Sou uma qualquer,
Esperando por qualquer sorriso,
Qualquer beijo e qualquer sonho
Em que sonhe que não sou, afinal,
Qualquer uma.

(eu)

Nem ao ser única eu sou única, pois não sou a única a ser única, todos somos únicos! Somos apenas uma massa de gente anónima e não passamos disso mesmo que queiramos. Não me lembro o que é que eu respondia quando era criança e quando me perguntavam o que é que eu queria ser quando fosse grande. Mas, se fosse agora, este seria o diálogo:
'O que queres ser quando fores grande?'
'Pioneira.'

OBRIGADA ! (mais uma vez)

18 comentários:

André disse...

Gostei imenso de te ler. O poema está muito bonito, as tuas palavras são sinceras e duras.

Fico feliz por ver que procuras um sentido profundo para a vida, que não te contentas apenas com o excremento diário da resignação, da morte em vida, do degredo da alma nas ruas sujas da existência banal.

Também já me senti como te sentes, e por vezes ainda me sinto, mas encontrei algo que nunca ninguém fez ou fará, algo que dá O sentido à vida, algo que me completará quando for plenamente assimilado.

Um dia poderemos partilhar isso, se quiseres.

Abraço

Make me PURE disse...

Na realidade acho que todo o mundo se sente assim e quer deixar a sua "pegada" aqui na terra. Também como tu penso assim... Na maior parte (sim! eu quero ter um marido para cuidar dos filhos). Temos que ter na consciencia que somos apenas uma especie humana que tem que sobreviver com a vantagem ou desvantagem de termos a inteligencia e o raciocinio. Agora cada um sabe o que faz... Alguns nasceram com o cu virado para a lua, têm mais facilidade de terem sucesso, outros precisam de sofrer mais para atingirem o que querem, mas o que interessa é lá chegar! As vezes somos felizes sem nos aperceber.

Tropezinha disse...

Percebo perfeitamente o que dizes.
Acho que aqueles que "nasceram com o cú virado para a lua" e conseguem alcançar tudo e mais alguma coisa com mais facilidade, não são tão felizes como TU, como EU, como outras pessoas... Só porque nós temos experiencias diferentes e, LUTAMOS!
Lutamos para ser felizes, e conseguimos alcançar a felicidade. mais cedo ou mais tarde!!!!

nos dias que correm só conseguias seguir esses sonhos todos com sucesso se houvesse muito dinheiro.
podes sempre ser mãe solteira, podes sempre não ccasar, podes arranjar um emprego hoje e, se tiveres sorte e fores realmente boa, outro amanhã. Mas a vida não está para facilidades! e já conseguires ter os trocos para contar ao fim do Mês para pagar as contas é uma sorte... pensa que há muita gente que nem isso tem!!

Eu não me considero uma pessoa igual a tantas outras! embora o que faço, alguém, um dia, já o fez. Mas eu sou EU! e com muito orgulho!!!! Pois sei que embora tenha mudado uma fralda como tantas outras pessoas, eu mudo de forma diferente! ;)

beijinhos*

Andreia do Flautim disse...

Bem, qualquer coisa que façamos somos sempre "mais Um". Mas o importante acho que não é isso. O importante é fazer aquilo que se gosta, que é importante para nós e eventualmente para aqueles que nos rodeiam. O importante é ser feliz a fazer o que se gosta. E todas as pessoas têm algo de único.

Eu sou igual a todas as raparigas. Se te disser que sou flautista, provavelmente é uma coisa única para ti, provavelmente não conheces muitas flautistas. No entanto para mim, sou apenas mais uma flautista, conheço tantos! Mas gosto!

B! disse...

Deixa-me adivinhar, estás a viver uma crise de identidade?

Eu já me senti muitas vezes assim e muitas das vezes sinto-me incompreendida pela maior parte das pessoas. Sinto que me falta algo para ser feliz mas sinceramente não sei o quê... tenho algumas suspeitas, mas...

De qualquer das maneiras se precisar de ajuda em algo já sabes que podes contar comigo. I´m always here ;)

B! disse...

se precisares*

erro xD

Menina disse...

Apesar de me sentir também assim às vezes, acho que apesar de ser mais uma à face da terra, com uma vida muito semelhante a tantas e tantas pessoas, há sempre qualquer coisa que faz a diferença. Podem ser coisas pequenas, grandes, pode não ser nada a que tu própria atribuas importância..mas penso que há sempre qualquer coisa.

Eu pelo menos se pensasse sempre assim, não conseguia ter força para acabar o curso, nem para fazer nada de jeito, mas de vez em quando esses pensamentos também me passam pela cabeça lol

beijo*

Eva disse...

Basicamente, queres ter tudo sem fazer nenhum. Grande ideologia, menina...

Salto-Alto disse...

Garanto-te que não és a única a sentir isso. Pelo menos eu estou contigo!

André disse...

http://vimeo.com/811761

Quem fez esse vídeo criou algo que ninguém mais fez. As palavras que escreves também criam coisas que mais ninguém cria, porque toda a criação é única e diferente das restantes.

Tu és única e diferente de todos os outros, e nem preciso de te conhecer para saber isso.

"A tristeza é uma saudosa doçura."

bluefox disse...

Já todos sentimos isso, e há dias em que ainda o sentimos, mas pensa que podendo ser a primeira ou a unica, podes sempre ser a melhor. E com o tempo vais ver que para as pessoas que realmente importam e gostam de nós, seremos sempre nao só as primeiras e as unicas mas tambem insubestituiveis.
Animo que isso é só um dia mau e amanhã está quase a chegar.
Beijos doces.

caditonuno disse...

querias, nao é? eu também quria muita coisa e nao tenho! havia de ser giro, me-solteira com a sua formig, esta semana em Londres, na próxima em Paris e daqui a mais algum tempo em Roma ou Milão...

desde que vás lutando e remando contraa maré enquanto atinges os teus objectivos já é conquistar alguma coisa. pensa nisso...

trebaruna_666 disse...

tb me sinto assim às vezes, é tão complicado ser diferente, pk kando damos conta estamos a ser iguais aos outros.
o importante é encontrares dentro de ti o k te faz mover, o k te dá forças pra sair da cama e que te deixa feliz. o k te deixa feliz pode ate ser vulgar, algo k deixa tda gente feliz e realizada, mas que importa é sentires bem e feliz.
toda gente passa por isso é um processo de auto-conhecimento que acho k nunca acaba.

beijinho******

'C. disse...

14º comentário ! x'D

pezinhos de cetim disse...

Eh eh realmente, como dizes, não há nada único. Em tudo já alguém pensou, ou fez, ou inventou, ou quis ser,... enfim...
Mas em algumas coisas de certeza que és única... No teu mundo de certeza que há um monte de coisas em que és única. És única para a tua mãe, para o teu pai, para ele, para o teu cão,... :)

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Há alguns (muitos) dias atrás, perguntaste-me como se faz para se escrever "tão" bem. Este teu post é a resposta: escrever com o coração.

Vais conseguir, C. E estás a crescer... não tens quase nada a ver com a menina que escrevia aqui há cinco meses atrás.

Beijo meu ♥,

A Elite

Alexandra disse...

Adorei o texto que escreveste. Revi-me nele exactamente quando tinha a tua idade. Que te posso dizer... Se pensares assim, é claro que a vida não faz sentido, mas nós estamos cá para lhe dar um, por sermos únicos e especiais...

Maria Nena Freitas disse...

já sabes...
Eu sou o contrario...
Quero casar, ter filhos, contas para pagar...
Ai, rotina, que coisa perfeita

(depois qnd entrar em crise de meia idade pego no telemovel e digo "claudia, vamos passear" e tu dizes "não posso, tou em Paris")