30 de junho de 2011

' This one could be The One #35


Esta é daquelas que... primeiro estranha-se, mas depois entranha-se. E a mim ficou mesmo entranhada. Adoro, adoro, amo, nunca me farto. BRUTAAAAAAAAAAAL. :)

29 de junho de 2011

' This one could be The One #34


Massive Attack, para mim, foi das melhores coisas que alguma vez ouvi.

28 de junho de 2011

27 de junho de 2011

' Das Limpezas.

Verdade seja dita, eu detesto viver na merda. Detesto pós, sujidades e resíduos humanos (cabelos, suor, dedadas...). Faço altos filmes na minha cabeça em como está tudo sempre cheio de germes, e tudo começa simplesmente por saírmos à rua e andarmos em casa com os sapatos da rua. Ora vejamos: eu tenho umas sandálias, vou com elas para a rua; essas sandálias pisam em vómito seco, mijo de cão, escarras dos velhos, toda a porcaria que possamos imaginar; vimos com eles para casa, o chão fica infectado (daí eu não acreditar na regra dos "5 segundos" de quando algo cai ao chão, para mim basta 1 segundo para ficar infectado); descalçamo-nos, andamos descalços; metemos os pés na cama e no sofá, onde temos contacto directo com o resto do corpo, nomeadamente as mãos; levamos as mãos à boca, nariz, olhos, e outros buracos de entrada para dentro do corpo, lol :P ; ou seja, ainda que muito indirectamente, estamos em contacto directo com o vómito seco, o mijo de cão e as escarras dos velhos. é NOJENTO! Portanto, para mim, uma das coisas que mais me mete nojo é mesmo: ténis e outros sapatos em cima de sofás e camas e puffs... e uma das coisas que mais me surpreende é que toda a gente faz isso... eu vejo toda a gente a fazer isso sem ter a mínima noção de como é nojento.

Mas o pior, o pior mesmo, que a mim me faz muitíssima confusão, é a cama. A cama, para mim, é um lugar sagrado. Tem que estar sempre limpa. Porra, é onde dormimos! Deitar na cama com roupa da rua, é das coisas que mais me mete nojo. Ora vejamos: andamos com essa roupa por todo o sítio... nomeadamente bancos públicos, cafés, de autocarros, que não sabemos quem se sentou lá, pode ter todo o tipo de sujidade e germes; e depois, vamos com elas (roupas da rua) para a cama, onde dormimos? Bheeeerrrkkkkk. E ir deitar sem tomar banho? Ah! Não entendo!! Geralmente, as pessoas tomam banho de manhã, antes de sair de casa, e não à noite, antes de se irem deitar. Acho nojento! Andamos o dia todo na rua ou em outros locais frequentados por mais pessoas, vamos à casa-de-banho, muitas vezes públicas, andamos em transportes públicos, mexemos em objectos partilhados, SUAMOS, e vamos para a cama com essa merda toda em cima? Isso, a mim, ultrapassa-me. Por isso, detesto, detesto detesto que: outras pessoas se deitem na minha cama, pelo menos debaixo dos lençóis (já nem digo em cima do edredão, pronto...),sobretudo se NÃO TOMARAM BANHO; que ponham os sapatos/ténis/whatever em cima da cama; que se deitem ao contrário e ponham os pés e as meias (as meias!!! cheias de bactérias de andarem descalços) na ALMOFADA. A sério! Dá-me nojo! Não sei como há pessoas que conseguem viver nesse tipo de sujidade, sujidade que não se vê a olho nu mas que está lá, colónias e colónias de bactérias, germes e vírus... Os meus amigos e o próprio Bruno implicam comigo pois sou uma esquisitinha de merda com a minha cama, e sempre que vejo coisas que não gosto implico bué... mas se há coisa que não suporto mesmo é sentir a minha cama com suor e cabelo dos outros, por mais próximos que sejam e por mais limpos/asseados que eu ache que sejam. Obrigo o Bruno sempre, sempre, a tomar banho antes de ir para a cama. Como já tinha dito, para mim a cama é um local sagrado, tudo o resto à minha volta pode estar na maior nojice de sempre, mas a cama tem que estar o mais impecável possível. Podem chamar-me de egoísta e mal-educada, mas nunca ofereço a minha cama a ninguém, tipo "podes dormir na minha cama", pelo contrário, na maioria das vezes até digo, "a cama é para eu dormir, não me interessa" e por mais longa que tenha sido a noite, tomo banho antes de ir para lá, a menos que já tenha tomado nesse dia e não tenha saído de casa.

Para além do chão - até já criei a regra do "no shoes" no meu quarto, pelo menos evita que resíduos que venham da rua entrem no meu quarto - e da cama, também detesto casas-de-banho sujas. Depois de receber visitas em casa, há uma coisa que faço sempre, e isso é, limpar a casa-de-banho até ela ficar a cheirar a lixívia. Sei lá o que eles foram lá fazer, se há xixi no tampo da sanita, e cabelos no lavatório, esse tipo de coisas mete-me nojo, a sério... Até os meus próprios cabelos no lavatório metem-me um bocado de impressão e todos os dias quando me penteio faço uma mini-limpeza ao lavatório à pala disso, quanto mais os dos outros. E quando vejo a minha escova do cabelo cheio de cabelos dos outros... que sei que são dos outros, por serem curtos (os meus são compridos), loiros (os meus são quase pretos), ruivos, encaracolados (os meus são lisos). Ah!!! Será que as pessoas não têm um mínimo de senso de higiene?? Eu nunca me penteio com as escovas dos outros, ou pelo menos tiro sempre os cabelos dos outros antes, e os meus depois. Faz-me um bocado de impressão deixar a minha escova dos dentes e a toalha do banho assim à vista quando recebo pessoas em casa, mas também não vou chegar a esse extremo. Confio que TODA A GENTE parte do princípio que essas duas coisas NUNCA se partilham. E também parto sempre do princípio que uma pessoa que queira ir tomar banho me pede uma toalha antes, e  não usa a minha. Nunca se sabe, mas... bom. Nem quero pensar nisso!!!

Aparte dessas 3 coisas que me fazem assim mais confusão, também detesto pó, dedadas nos vidros e nos espelhos, etc., mas bom, se as 3 coisas em cima estiverem limpas, eu convivo bem com o resto. Sou, definitivamente, daquelas pessoas que prefere que esteja tudo desarrumado (mas também detesto), mas limpo.

Sou uma maníaca das limpezas? Sim, definitivamente! Todas as semanas aspiro e limpo de tal forma a que fique tudo a cheirar a lixívia (e esta de ficar a cheirar a lixívia aprendi com a Vera, que diz que para ela as coisas não estão limpas se não estiverem a cheirar a lixívia), e, na grande maioria das vezes em que outra pessoa dorme na minha cama (excepto o Bruno, pronto), mudo os lençóis. Não é que tenha nojo das outras pessoas, não. É mesmo manias minhas. Não vivo bem no meio da porcaria e como eu sei que, para as outras pessoas, os standards de limpeza e higiene nunca são como os meus, para mim, alguma coisa fica sempre suja.

25 de junho de 2011

' This one could be The One #32


Até dá vontade de chorar com isto. Simplesmente, lindo.

24 de junho de 2011

' This one could be The One #31


Também do melhor que há em bossa nova. :)

23 de junho de 2011

' This one could be The One #30

E, como não podia dexcar de ser, a minha música de bossa nova absolutamente favoritíssima! foi o início, "olha que coisa mais linda", que me levou a colocar no link deste meu outro blog.

Garota de Ipanema. :)


(não consegui encontrar a versão estúdio, daí a má qualidade...)

22 de junho de 2011

21 de junho de 2011

' This one could be The One #28

Quem não conhece a Come On Eileen? Mas eu detesto a versão original, é super foleira!

Mas adoro a versão dos Nouvelle Vague. :)

20 de junho de 2011

' This one could be The One #27


Retiro o que disse sobre a "such a shame" ser a minha favorita dos Nouvelle Vague. Essa passa para 2ª favorita, deles, quando oiço esta... é que esta... esta....ahhh!!! MARAVILHOSA!!!!! triste - não aquele triste de balada tipo celine dion, detesto esse tipo de triste! - mas com aquele tom alegre da bossa nova... lindo, lindo!

' I'm freeeeeeee (and happy)

ESTOU, OFICIALMENTE, DE FÉRIAS, A PARTIR DE HOJE ÀS 17H30.

Hoje saíram as duas notas que faltavam, para saber se acabava com isto de uma vez... e felizmente acabei! Passei a tudo à primeira (nem sempre com as melhores notas, mas razoáveis até!), e não preciso ir a 2ª fase. Melhorias? Nem quero vê-las! Tá feito, tá feito! Minhas ricas férias! Que saudades que tinha delas!

Overall, até nem me saí mal! A nota mais baixa foi 13, o que acho médiozinho, enfim, podia ser melhor, mas não quero mais ver aquilo à frente! A mais alta foi 19, numa cadeira que, sinceramente, achava que ia reprovar! Pois quando saí da frequência, todo o mundo tinha dado respostas diferentes das minhas e eu comecei a achar que... "hmmmm, será que tenho tudo errado?". Bem, afinal, parece que todo o mundo tinha tudo certo, pois as notas dessa cadeira foram óptimas, a média da turma foi de 15. Fiquei tão feliz com essa nota! Foi a nota mais alta da minha vida na faculdade (até agora, e suspeito que até acabar o curso, lol)! Lá pelo meio, um 14 (tão normal, o meu padrão é 14, boriiiing, mas até fiquei surpreendida, pois normalmente nunca passo nos exames, apenas nas frequências - porque quando decido que vou a exame, como foi este caso, penso sempre "ah, como não tenho faltas, não vou às aulas" e depois não faço nada, mas nesta foi diferente, e consegui passar), e um 15. Consegui subir a minha média geral em 1 valor, o que não é espectacular, mas também não assim tão mau para um só semestre! Valeram bem a pena aquelas noites e dias passados a estudar, sem fazer mais nada... sim, que eu não tinha vida! SÓ estudava!

Agora?? hmm.. vou arrumar os livros, os cadernos, os dossiers, as folhas, na estante! estou com aquela sensação de "finalmente, acabou"! Finalmente, estou de férias, finalmente, não vou sofrer de ansiedade aguda (lol), finalmente, posso dormir à vontade sem despertador, finalmente, posso acordar sem pensar que tenho que estudar, sair de casa sem hora para voltar, estar com as pessoas que não estou há que séculos, e com outras novas também ;) finalmente, finalmente, finalmente!

E este mês e meio tem de ser bem aproveitadinho... depois disso, estou fora, vou em Erasmus!

Ah! a vida corre-me bem! estou a falar da faculdade/férias, mas no geral, toda a minha vida, tudo o resto, está a correr tão BEM! tão bem que até acho que é mentira! :D

Pronto... ESTOU FELIZ!

Muaah @

19 de junho de 2011

' This one could be The One #26


Das poucas músicas dos Nouvelle Vague que não é bossa nova, mas é uma das minhas favoritíssimas, senão a favorita mesmo, deles... :)

18 de junho de 2011

' This one could be The One #25

Hoje estou feliz! Particularmente feliz!

Não só porque é Verão e eu já estou de férias, e já fui molhar os meus pézinhos à água do mar... sim,  que essas coisas deixam-me feliz! Mas especialmente porque a vida me corre bem, hoje vou, finalmente, depois de muito tempo (1 mês) sem fazer mais nada a não ser não estudar,  vouestar com eles, já não estou há tanto tempo com eles (sem ser à pressa) e já tinha saudades; e já acabei os exames, estou a contar passar a todos - e com notas razoáveis - sinto-me de consciência tranquila pois sei que dei o meu melhor, e porque ontem foi um dia especial, está tudo melhor explicado AQUI, e todo o mundo sabe que o Mulher XL é o meu orgulho, é um projecto que é meu (e da Lane, mas meu num sentido mais emocional), que eu amo, que eu desenvolvo por gosto, é o meu orgulho, e adoro quando fazemos coisas assim. :)

Pronto, e agora, como já estou no summer mood, e porque amo amo amo BOSSA NOVA - é um dos meus estilos favoritos, a música para hoje vai ser:


ahhh :) sabe-me pela vida ouvir isto. sinto-me tranquila, descontraída e... de férias!

(quando ouvi esta música pela primeira vez, fiquei wow :O amei de imediato! e amo, em geral, Nouvelle Vague, vou colocar músicas deles nos próximos post's desta rubrica, porque acho genial a forma como eles pegaram em músicas de outros artistas, de estilos que nada têm a ver - tipo rock - e transformaram em bossa nova. esta beleza!)

Muaah @

' This one could be The One #24


:)))

16 de junho de 2011

' This one could be The One #22


Já aqui tinha referido que adoro música clássica? Pois sim, adoro! E esta... La Traviata... sobretudo a parte inicial... sempre achei uma autêntica obra de arte :)

15 de junho de 2011

' This one could be The One #21


E os amores não-correspondidos da adolescência?! ahhh... lembro-me tão bem de suspirar a ouvir isto. e ainda suspiro! :)

14 de junho de 2011

' This one could be The One #20



Esta é a minha música do secundário...eheheh. Lembro-me perfeitamente, passava a vida a ouvir isto. Mais do que uma potencial música favorita (ou, vá, não chego a tanto, mas que gosto mesmo muito), é uma música que me trás recordações... umas boas, outras más, mas recordações. Adoro! :)

13 de junho de 2011

' This one could be The One #19


WOW! WOW! WOW! Não consigo dizer mais nada, apenas... carreguem no play e coloquem directamente no 1'19. Só digo isto :D

' That's it.

Tenho medo de falhar.

Porque geralmente não falho a nada. Sempre passei a tudo à primeira, nunca deixei um ano para trás (excepto quando mudei de curso, mas não conta), não gosto de deixar coisas por fazer ou mal feitas. Talvez por ser assim exigente e perfeccionista com as coisas que faço, me preocupe demais.

Ontem ao fim da noite comecei a ter um ataque de ansiedade. Não estava mesmo a conseguir concentrar-me no estudo e estava cheia de medo de não passar nos exames. Deu-me um ataque de pessimismo e comecei a achar que ia chumbar a tudo. Estava tão nervosa, tão nervosa, cansada e não conseguia dormir. Não conseguia comer. Não conseguia ver televisão. Não conseguia nada. Só conseguia pensar que ia falhar a tudo. E que sou burra. E inútil. E preguiçosa. E que ia chumbar a tudo.

Hoje decidi que ia pegar em mim, no portátil, e tinha de ir outdoors estudar, starbucks ou algo assim, e obrigar-me a estudar por tudo nesta vida. O problema continua a ser o mesmo, mas pelo menos mudava de sítio.

Tenho que passar no exame de amanhã. Não consigo mais, fisica e mentalmente, ir à 2ª fase de exames.

Hoje é dia 13. É sempre o meu dia de azar.

12 de junho de 2011

' TIREM-ME DESTE FILME.

Estou a dar em doida. A sério. Estou a dar em doida. Vou colocar aqui um gráfico que fiz e que representa bem o que penso acerca da fase dos exames. Eu já estou naquela fase bem cá em baixo, no finzinho da curva verde:


Estou a estudar desde o dia 19 de Maio, exactamente o dia em que acabaram as aulas e o meu pensamento era “este ano vai ser diferente! Vou estudar mais, vou estudar com antecedência, vou estudar muito, vou ter óptimas notas!”. E assim comecei. Como sou uma pessoa extremamente auto-motivadora, até nos dias menos bons e mais preguiçosos eu dava a volta à coisa. Eu li – mais do que uma, mais do que duas, mais do que três vezes – eu sublinhei, eu escrevi, apontei, anotei, resumi, compreendi, decorei.

Ia sempre para os exames com a sensação e a achar que sabia tudo, havia até coisas que os meus colegas diziam não saber, não se lembrar, ou não ter certeza, e eu sabia. Eu tinha a certeza que sabia.

Já com o exame à frente, a imagem era bem diferente. Frequentemente, brancas, visualizava mentalmente os esquemas que tinha escrito no papel, mas não me conseguia lembrar das palavras ou, conseguindo, não conseguia de alguma forma fazer uma conexão causal entre eles, dar uma definição, uma explicação, uma justificação. E eram coisas tão óbvias - mas só eram óbvias ao sair do exame e quando alguém me dizia "ah, era isto e aquilo" e eu só pensava "MERDA! pois era... e era tão fácil e tão óbvio, porque é que eu não me lembrei?!". Sentia-me tão BURRA nesses momentos...

Os resultados começaram a vir, o primeiro foi 11. Um mísero 11. O que foi totalmente injustificado, pois tive 11 dias a estudar para esse exame (frequência, whatever), e até percebia bem as coisas. Mais do que costumo perceber. E até nem me correu mal. E no fim, quando fui ver a matéria, tinha acertado em tudo aquilo que me lembrava. Ainda não sei dos outros, mas as minhas expectativas já viram dias melhores.

Here’s the thing: eu já estou numa fase em que não me consigo auto-motivar. Hoje, só hoje, fiz umas 5 ou 6 tentativas de começar a estudar. O resultado é que, ao fim de um texto, por vezes um artigo inteiro, eu não me lembrava do que tinha lido. Era como se o meu cérebro tivesse adormecido e eu tivesse estado a ler, mas não a ler mesmo. Entendem? Nem mesmo quando a luz faltou aqui em casa – e, sem televisão nem internet para me distrair – eu consegui concentrar-me por mais de 2 minutos. Isto é extremamente frustrante. São 21h e as minhas tentativas para começar a estudar vão prolongar-se até às 1h, 2h, hora que o meu cérebro começa a dar o fail do sono. lol. 

Sou exigente comigo mesma, sim. Gosto de ter bons resultados, sim. Gosto de os obter por via do esforço e do estudo, sim – até porque mesmo quando faço cábulas, ou auxiliares de memória, sou mariquinhas demais para utilizá-las e nunca as tiro sequer. Comecei no dia 19 de Maio com aquele pensamento de que me ia esforçar mais do que nos outros anos e tirar boas notas? Sim. Mas, nesta fase, já estou por tudo. Já estou com aquele pensamento que não me é, de todo, inerente: eu já só quero passar e que isto acabe. Nem sequer consigo colocar a hipótese de ir a uma 2ª fase – o que tem sempre a vantagem de já saber o que esperar do exame e de já ter estudado e só precisar de uma revisão. A desvantagem é que eu acabo sempre por estudar tudo de novo, por descargo de consciência, e que é sempre deitar a nota da avaliação contínua (trabalhos feitos ao longo do semestre), directamente no lixo, nos quais este ano particularmente até tive boas notas, sempre de 16 para cima, num até tive 20. E não gosto de deitar isso fora, por isso evito sempre ir à 2ª fase. Até porque se paga e eu sou forreta.

É que eu estou há quase um mês isolada do mundo. Não quero ficar mais tempo para além de 3ª feira, dia do meu último exame. Se passar a todos, claro. Já só rezo para passar!!!

Verdade seja dita, nunca tive problemas em estar sozinha. Sou uma pessoa extremamente individualista. Mas estou a começar a sentir os efeitos colaterais do estar sozinha e isolada e concentrada, como eu gosto de dizer, focus. Hoje falei com a Vera e foi o ponto alto do meu dia, ouvir a voz de outro ser humano e falar de coisas triviais e, mais que não seja, a pôr a conversa em dia. Facebook não conta como socialização, se bem que tem sido mesmo a única forma de socializar que eu tenho utilizado. O Bruno já não conta, que já faz parte da mobília. Se bem que o ponto alto da minha semana é quando sei que ele vem para minha casa no fim-de-semana. Idem para a minha mãe, se bem que de vez em quando dispensava aquela vozinha aguda só a queixar-se de tudo e de nada. E aquelas horinhas antes do exame em que estou com os meus colegas, também são um desanuviar fantástico.

O que sucede é que eu podia continuar a ter vida e estudar à mesma, mas não consigo. Criei uma rotina que implica aproveitar todas as horas livres do meu dia de forma produtiva, e isso implica não sair, e não ir para a noite, pois sei que no dia seguinte, o dia vai ser deitado fora. Essa rotina tem feito com que os meus dias passem a correr. De Maio até agora, parece que passou somente uma semana, para mim. E este dia está a custar-me a passar. Está a ser um dos piores domingos da minha vida porque, dentro da minha cabeça, eu só oiço uma vozinha que diz "vai estudar, vai estudar, vai estudar". Estou a ficar paranóica. Odeio ter consciência!

Já estou a perder o meu raciocínio. Claro… é o que me tem acontecido ultimamente. Discurso desorganizado.

Como eu ia dizendo. Já estou naquela fase em que me sinto exausta e esgotada intelectualmente. Em que já não consigo assimilar, por mais que estude e que durma bem e que comece a estudar com a "cabeça descansada", já nem isso funciona. Parece que chegou a um limite. Gosto de aprender e estudo sempre nessa perspectiva – nunca na perspectiva de decorar, mas sim de aprender. Mas não quero aprender mais. Eu quero simplesmente não fazer nada. Esvaziar o meu cérebro. Não quero ler mais 20 artigos de 15 páginas com letras miudinhas para um só teste, e de tudo isso sair no exame precisamente aquele parágrafo que eu não li tão bem. Quero poder ir sair sem ter de me preocupar que no dia seguinte tenho que acordar cedo… saber que posso dormir até às 4 da tarde sem pesos na consciência! (ahh e que bem que sabe dormir até essa hora). Quero poder ter só escrito na minha agenda, num dia inteiro, “praia”, e não “estudar epistemologia – ler artigos X e Y e livro da Gulbenkian” e fazer 6 vezes a tentativa para começar, sem sucesso, tudo isso acompanhado de um imenso sentimento de culpa.

Estou tão farta, tão farta que, se neste momento eu tivesse a possibilidade de acabar já com esta fase de exames e ter 10 a tudo, mas passar, eu estava capaz de aceitar, e cagar naquele pensamento de “só quero ter para cima de 15 este semestre”.

É que, a sério, e não me farto de repetir. Estou farta.

E preciso, urgentemente, de algum contacto humano de qualidade.

E tenho TANTAS SAUDADES daqueles convívios que eu faço aqui em casa, em que ficamos todos simplesmente sentados nos puff’s ou deitados pelo chão a conversar. Tenho tantas saudades! Nunca tive tantas saudades disso!!!! Se eu não tivesse consciência, acabava já com este dia horrível e organizava alto jantar aqui em casa, para esvaziar a mente. Mas o problema é que sei que amanhã ia sentir-me o ser humano mais horrível e desleixado por ter posto a diversão acima da obrigação!

Só sentimos falta das coisas, quando não as podemos ter… é cliché e é tão verdade.

Resumindo e concluíndo: não, não vou dizer que estou farta. Vou dizer que odeio ter consciência e ser tão responsável!

E também: tirem-me deste filme. Quero adormecer e só acordar na 3ª feira às 18h, hora a que oficialmente acabam os meus exames.

11 de junho de 2011

' Onze.

Nunca pensei que este dia fosse chegar. Há 4 anos que escrevo religiosamente neste blogue e sempre que acompanhava um blogger que simplesmente deixava de escrever achava estranhíssimo e pensava sempre... eu nunca vou deixar de escrever, tenho tantas coisas para dizer ... . E agora? É só olhar para o meu blog. Coloco as músicas da rubrica que estou a fazer agora e pronto... nem sequer coloco uma todos os dias... agendo para as duas semanas seguintes e nessas duas semanas nem meto cá os pés. Ou, melhor, as mãos.

Como eu ia dizendo, nunca pensei que este dia fosse chegar, mas estou farta do meu blog. Tenho novidades? Sim. tenho coisas para escrever? definitivamente. tenho sempre! mas já não me apetece. perdeu grande piada. há coisas que já não fazem sentido. Espero que seja só uma fase. Não gostava de ver o fim deste blog.

Hoje vim escrever, essencialmente porque preciso desabafar. Estou numa fase stressante e enervante. Nas últimas (quê? duas, três) semanas, só tenho andado a estudar quase non-stop, sem fazer quase mais nada. Vida social? bye bye. a única pessoa com quem tenho contacto físico é o Bruno! Natação? uma vez por semana e é com muita sorte e se me apetecer - entretanto, já perdi aquela mania das dietas. não fui feita para isso. santa paciência! cada vez como mais! mas já não como porcarias. não que não me apeteça, porque me apetece sempre. mas porque a minha mãe agora declarou oficialmente que vai deixar de comprar chocolates, manteiga, chocolate para barrar no pão, doces/compotas, e o próprio pão... resultado, os meus lanches e pequenos-almoços são tipo cereais integrais, bolachas integrais com queijo fresco (o único que como) e fruta. tudo o que é bom ela deixou de comprar! que nervos! odeio comida de dieta e coisas integrais.

estou farta da minha faculdade, farta da mesa da sala de jantar da minha casa, farta do sofá, do meu quarto, de tudo isso. odeio ser assim e há quem me diga - essencialmente eu, para mim mesma - que não devia ser tão stressadinha e tão aplicadinha e estudar tanto (mentira, na maioria do tempo nem sequer me consigo concentrada, apesar de já ter comprado os comprimidos Cerebrum Student, que acredito que funcionem mais tipo placebo, porque em termos reais aquilo aumenta a concentração, a atenção e a memória é a merda!) - que devia sair mais e tal... que não devia ser anti-social! Mas a verdade é que eu não consigo divertir-me quando sei que tenho coisas por fazer... eu até podia ir, mas não ia aproveitar, e eu sou uma pessoa que não gosta de perder tempo quando não aproveita as coisas. Também há outra razão pela qual eu tenho estudado tanto - e porque digo, com toda a certeza, que nunca tinha estudado tanto na vida - é mesmo porque em Setembro bye bye Portugal, oi oi Amesterdão, e não pensem que lá vou andar a marrar; sim, vou às aulas, e vou aproveitar para ter boas notas pelo facto deles facilitarem os erasmus e darem melhores notas pelo esforço mínimo (pelo menos é o que oiço sempre), mas não vai ser nada como é aqui, ou está a ser aqui. E como eu sou uma mulher prevenida, já me estou a precaver para a desgraça que vai ser por aqueles lados...

Depois de tudo isto, saem as notas daquele primeiro exame que eu até achava que não me tinha corrido mal de todo. 11. 11?! OOOONNNNZZZZEEEEE???!!!! o pior foi terem-me dito isto enquanto estava a estudar! a primeira coisa que fiz foi fechar os livros e ir comprovar por mim mesma. o pior?! houve 15's e 16's... eu sei que é mau, mas tendemos sempre a comparar-nos aos outros, certo? eu faço isso imenso... não gosto de me comparar com as pessoas que chumbaram. para mim, um 11 continua a ser péssimo, medíocre, mesmo que tenha havido pessoas com 5, 6, 7, 8 e 9. Mas um 11 é ainda pior, quando houve 15's e 16's. Porque, epá, se tivesse só havido até ao 13 eu ainda achava que o problema não era meu. Mas reunindo-se as condições de a) ter havido para cima de 15's e b) eu ter estudado consideravelmente MUITO e BEM, não compreendi esse resultado. Eu sou extremamente exigente comigo mesma porque acredito em mim e que tenho capacidades e até acredito (embora, com o tempo, tenha vindo a acreditar cada vez menos) que o esforço compensa sempre e, quando me proponho a fazer alguma coisa, eu gosto de a fazer bem! Detesto quando isto me acontece. Com grande exigência, vem grande desilusão... e essa treta de que o esforço compensa sempre, não passa mesmo de uma grandessíssima treta.

Agora? Toda e qualquer restiazinha de motivação que eu ainda tinha para estudar,foi-se. O meu raciocínio não é mais que isto: 11 é nota que eu tiro só de ir às aulas e ler as coisas na véspera, sem estudo intensivo. 11 tendo em conta que estive uma semana a estudar uma coisa que eu detestava, aquela porcariazinha????

Pfff. a única coisa boa disso tudo é que passei. Devo dizer que passei com 13, o 16 do trabalho de grupo salvou-me e deu para subir os dois valorzinhos. Mesmo assim. Acho merdoso. Este semestre estava determinadíssima a subir a minha média de 13,5 para 15. Shit. Adeus à ideia.
Ah, e sinto-me burra. Extremamente burra! Dói-me a cabeça só de me sentir burra. Isto também deve ser da TPM. este humorzinho irritável e bitchy. Não me suporto a mim mesma, hoje! E apetece-me comer uma tablete de chocolate inteira... mas vou ter que me contentar com bolachinhas e queijo fresco. MMMEEEEERRRRDDDDAAAAAAAAA.

E agora que já matei a fome de escrever testamentos - e porque tão cedo não me vai apetecer escrever outro, a menos que tenha tipo um 10 (!!!) noutro exame/frequência, vou ficar-me por aqui e... até voltar a apetecer-me outra vez.

10 de junho de 2011

' This one could be The One #18



O piano e a voz dele.

Tudo o que é preciso para me deixar feliz ao ouvir isto. :)

8 de junho de 2011

' This one could be The One #17



Sempre gostei desta menina. E esta música, sempre teve um lugar especial. Adoro, adoro, adoro. :)

6 de junho de 2011

' This one could be The One #16


E esta vem para aqui porque é maravilhosa. Não é apenas uma música. É uma composição de génio.

5 de junho de 2011

' This one could be The One #15



Mostraram-me esta música há pouco tempo... ficou. logo. desde a primeira vez que a ouvi. simplesmente... isto. nem tenho palavras!
(e sim, eu sei que é estranho EU ouvir korn, mas esta é diferente).

Já tinha dito que gosto de coisas intensas?

3 de junho de 2011

' This one could be The One #14


Isto, sim!! Adoro tudo, mas especialmente o refrão e a parte do fim... aqueles longos 2 minutos e meio finais...

No geral, ouvir esta música proporciona-me 6 minutos e 58 segundos de puro bem-estar.

Amo, Amo, Amo. :)

Muaah @

2 de junho de 2011

' This one could be The One #13


Who am I, to make a judgment of your life? I'm only passing by, passing by...

Simples, mas dos melhores refrões que já ouvi! Simplesmente, adoro este pedaço da letra...

E a música, é óptima... nem tenho palavras, adoro, adoro!!

Mas isto ainda não é do melhor deles... a música que vou colocar no próximo post é a minha absolute favourite dos Zero 7! Impossível não gostar...

Muaah @

1 de junho de 2011

' This one could be The One #12

E passando da Christina a algo que nada ou pouco tem a ver... chill out (e trip-hop) :D

Adoro chill out, e Zero 7 é uma das minhas bandas de eleição, pois é uma mistura entre chill out e trip-hop, dois dos meus estillos favoritos. A palavra de ordem para descrever as músicas de Zero 7, para mim é: felicidade. Simplesmente, sinto-me feliz quando os oiço, feliz de uma forma tranquila.

Já para não falar que adoro a voz da Sia... (não gosto assim tanto da voz dela e da forma como ela a utiliza nos seus trabalhos a solo, mas aqui, adoro!).

Vou deixar-me de bla bla bla... a primeira música deles que podia ser a minha favorita é esta, Destiny. É uma das poucas músicas conhecidas deles.


Mas isto, é só um começo... há melhores ainda. (sim, ainda! o que já é difícil!).

Muaah @