12 de junho de 2011

' TIREM-ME DESTE FILME.

Estou a dar em doida. A sério. Estou a dar em doida. Vou colocar aqui um gráfico que fiz e que representa bem o que penso acerca da fase dos exames. Eu já estou naquela fase bem cá em baixo, no finzinho da curva verde:


Estou a estudar desde o dia 19 de Maio, exactamente o dia em que acabaram as aulas e o meu pensamento era “este ano vai ser diferente! Vou estudar mais, vou estudar com antecedência, vou estudar muito, vou ter óptimas notas!”. E assim comecei. Como sou uma pessoa extremamente auto-motivadora, até nos dias menos bons e mais preguiçosos eu dava a volta à coisa. Eu li – mais do que uma, mais do que duas, mais do que três vezes – eu sublinhei, eu escrevi, apontei, anotei, resumi, compreendi, decorei.

Ia sempre para os exames com a sensação e a achar que sabia tudo, havia até coisas que os meus colegas diziam não saber, não se lembrar, ou não ter certeza, e eu sabia. Eu tinha a certeza que sabia.

Já com o exame à frente, a imagem era bem diferente. Frequentemente, brancas, visualizava mentalmente os esquemas que tinha escrito no papel, mas não me conseguia lembrar das palavras ou, conseguindo, não conseguia de alguma forma fazer uma conexão causal entre eles, dar uma definição, uma explicação, uma justificação. E eram coisas tão óbvias - mas só eram óbvias ao sair do exame e quando alguém me dizia "ah, era isto e aquilo" e eu só pensava "MERDA! pois era... e era tão fácil e tão óbvio, porque é que eu não me lembrei?!". Sentia-me tão BURRA nesses momentos...

Os resultados começaram a vir, o primeiro foi 11. Um mísero 11. O que foi totalmente injustificado, pois tive 11 dias a estudar para esse exame (frequência, whatever), e até percebia bem as coisas. Mais do que costumo perceber. E até nem me correu mal. E no fim, quando fui ver a matéria, tinha acertado em tudo aquilo que me lembrava. Ainda não sei dos outros, mas as minhas expectativas já viram dias melhores.

Here’s the thing: eu já estou numa fase em que não me consigo auto-motivar. Hoje, só hoje, fiz umas 5 ou 6 tentativas de começar a estudar. O resultado é que, ao fim de um texto, por vezes um artigo inteiro, eu não me lembrava do que tinha lido. Era como se o meu cérebro tivesse adormecido e eu tivesse estado a ler, mas não a ler mesmo. Entendem? Nem mesmo quando a luz faltou aqui em casa – e, sem televisão nem internet para me distrair – eu consegui concentrar-me por mais de 2 minutos. Isto é extremamente frustrante. São 21h e as minhas tentativas para começar a estudar vão prolongar-se até às 1h, 2h, hora que o meu cérebro começa a dar o fail do sono. lol. 

Sou exigente comigo mesma, sim. Gosto de ter bons resultados, sim. Gosto de os obter por via do esforço e do estudo, sim – até porque mesmo quando faço cábulas, ou auxiliares de memória, sou mariquinhas demais para utilizá-las e nunca as tiro sequer. Comecei no dia 19 de Maio com aquele pensamento de que me ia esforçar mais do que nos outros anos e tirar boas notas? Sim. Mas, nesta fase, já estou por tudo. Já estou com aquele pensamento que não me é, de todo, inerente: eu já só quero passar e que isto acabe. Nem sequer consigo colocar a hipótese de ir a uma 2ª fase – o que tem sempre a vantagem de já saber o que esperar do exame e de já ter estudado e só precisar de uma revisão. A desvantagem é que eu acabo sempre por estudar tudo de novo, por descargo de consciência, e que é sempre deitar a nota da avaliação contínua (trabalhos feitos ao longo do semestre), directamente no lixo, nos quais este ano particularmente até tive boas notas, sempre de 16 para cima, num até tive 20. E não gosto de deitar isso fora, por isso evito sempre ir à 2ª fase. Até porque se paga e eu sou forreta.

É que eu estou há quase um mês isolada do mundo. Não quero ficar mais tempo para além de 3ª feira, dia do meu último exame. Se passar a todos, claro. Já só rezo para passar!!!

Verdade seja dita, nunca tive problemas em estar sozinha. Sou uma pessoa extremamente individualista. Mas estou a começar a sentir os efeitos colaterais do estar sozinha e isolada e concentrada, como eu gosto de dizer, focus. Hoje falei com a Vera e foi o ponto alto do meu dia, ouvir a voz de outro ser humano e falar de coisas triviais e, mais que não seja, a pôr a conversa em dia. Facebook não conta como socialização, se bem que tem sido mesmo a única forma de socializar que eu tenho utilizado. O Bruno já não conta, que já faz parte da mobília. Se bem que o ponto alto da minha semana é quando sei que ele vem para minha casa no fim-de-semana. Idem para a minha mãe, se bem que de vez em quando dispensava aquela vozinha aguda só a queixar-se de tudo e de nada. E aquelas horinhas antes do exame em que estou com os meus colegas, também são um desanuviar fantástico.

O que sucede é que eu podia continuar a ter vida e estudar à mesma, mas não consigo. Criei uma rotina que implica aproveitar todas as horas livres do meu dia de forma produtiva, e isso implica não sair, e não ir para a noite, pois sei que no dia seguinte, o dia vai ser deitado fora. Essa rotina tem feito com que os meus dias passem a correr. De Maio até agora, parece que passou somente uma semana, para mim. E este dia está a custar-me a passar. Está a ser um dos piores domingos da minha vida porque, dentro da minha cabeça, eu só oiço uma vozinha que diz "vai estudar, vai estudar, vai estudar". Estou a ficar paranóica. Odeio ter consciência!

Já estou a perder o meu raciocínio. Claro… é o que me tem acontecido ultimamente. Discurso desorganizado.

Como eu ia dizendo. Já estou naquela fase em que me sinto exausta e esgotada intelectualmente. Em que já não consigo assimilar, por mais que estude e que durma bem e que comece a estudar com a "cabeça descansada", já nem isso funciona. Parece que chegou a um limite. Gosto de aprender e estudo sempre nessa perspectiva – nunca na perspectiva de decorar, mas sim de aprender. Mas não quero aprender mais. Eu quero simplesmente não fazer nada. Esvaziar o meu cérebro. Não quero ler mais 20 artigos de 15 páginas com letras miudinhas para um só teste, e de tudo isso sair no exame precisamente aquele parágrafo que eu não li tão bem. Quero poder ir sair sem ter de me preocupar que no dia seguinte tenho que acordar cedo… saber que posso dormir até às 4 da tarde sem pesos na consciência! (ahh e que bem que sabe dormir até essa hora). Quero poder ter só escrito na minha agenda, num dia inteiro, “praia”, e não “estudar epistemologia – ler artigos X e Y e livro da Gulbenkian” e fazer 6 vezes a tentativa para começar, sem sucesso, tudo isso acompanhado de um imenso sentimento de culpa.

Estou tão farta, tão farta que, se neste momento eu tivesse a possibilidade de acabar já com esta fase de exames e ter 10 a tudo, mas passar, eu estava capaz de aceitar, e cagar naquele pensamento de “só quero ter para cima de 15 este semestre”.

É que, a sério, e não me farto de repetir. Estou farta.

E preciso, urgentemente, de algum contacto humano de qualidade.

E tenho TANTAS SAUDADES daqueles convívios que eu faço aqui em casa, em que ficamos todos simplesmente sentados nos puff’s ou deitados pelo chão a conversar. Tenho tantas saudades! Nunca tive tantas saudades disso!!!! Se eu não tivesse consciência, acabava já com este dia horrível e organizava alto jantar aqui em casa, para esvaziar a mente. Mas o problema é que sei que amanhã ia sentir-me o ser humano mais horrível e desleixado por ter posto a diversão acima da obrigação!

Só sentimos falta das coisas, quando não as podemos ter… é cliché e é tão verdade.

Resumindo e concluíndo: não, não vou dizer que estou farta. Vou dizer que odeio ter consciência e ser tão responsável!

E também: tirem-me deste filme. Quero adormecer e só acordar na 3ª feira às 18h, hora a que oficialmente acabam os meus exames.

5 comentários:

Menina disse...

Eu sei como é essa fase..e é horrível.

O meu mal é que às vezes fico como tu, não me apetece fazer nada, uma preguiça enorme..mas outras vezes faço o oposto e não paro mesmo de estudar. Já por uma ou duas vezes estive perto de ficar com um esgotamento ou algo de género à custa disso =S E o que me valeu ainda foram os meus pais, que me ajudaram na altura certa..

Anyway,tens de te focar no facto de estares quase de férias! Eu só fico de férias daqui a um mês e 3 dias e já estou a estudar bastante à 15 dias lol ainda tenho muito tempo para dar em maluca..

beijinho*

Marga disse...

Devias fazer um break nesse estudo, já nem sequer está a ser produtivo. Tira uma parte do dia para ir passear... Não és tu que gostas de Marilyn Monroe? No Centro Cultural de Cascais está uma exposição da última sessão fotográfica dela :)

beijinhos e boa sorte =)

Sydney disse...

Concordo a 100% com esse grafico lol.. é de dar em doida.. =/ **

→ Calipso disse...

Amanha acabam os teus e comecam os meus. Vais ver qe nos vai correr tudo MONTES de bem e qe depois nos vamos rir juntas desta situacao stressante. Nesse aspecto tmb sou como tu: ponho a obrigacao acima do dever (apesar de não pôr acima do ginasio pq é a única altura do dia em qe posso desanuviar a cabeça). A ver se, no meu caso, compensou..

Botas disse...

És demasiado responsável.

<3