28 de setembro de 2009

' Praxes 2009/2010.

Já passou um ano, e ainda me lembro. Completamente perdida numa faculdade enorme e que mais parece um labirinto (só a meio do ano é que comecei a atinar com aquilo!), conhecia apenas e só duas pessoas mas que também estavam em praxes e por isso nem sequer podíamos comunicar por telemóvel ("caloiro não mexe no telemóvel"). Ainda me lembro de ser a 'besta Cláudia', de ter de ir ao chão de cada vez que um avião passava, de não me poder rir, ter que olhar no chão, estar o dia todo ou quase, das 8h às 18h em pé, gritar sozinha ou em grupo, dizer asneiras como tudo (e na altura era embaraçoso), gritar 'iscte iscte, conas abertas, caralhos em pé'. andava com um saco cor-de-rosa que me fazia transpirar mais que tudo debaixo de um sol abrasador, com uma fralda por cima das calças, a levar com a água nojenta e cheia de merda de pato do lago do Campo Grande no cabelo... parece humilhante e nojento? pois eu digo que foi uma das melhores semanas da minha vida académica... a semana das PRAXES.

e era isso que nós, Pastranos (2º ano), queríamos para os "nossos" caloiros este ano. e digo "nossos" porque eu entretanto mudei de curso, para Psicologia. mas quando cheguei lá na 2ª de manhã, duas gajas completamente arrogantes disseram que eu não podia praxar em Psicologia 'porque não tinha ido às reuniões' e blá blá. psicologia é um curso de gajas, por isso está-se mesmo a ver o ambiente: só miúdas com a mania da superioridade, aquele ambiente horrível. fiquei com eles uma hora e percebi logo (sou muito boa a captar as más energias). mais tarde vim a saber que as praxes de psicologia foram péssimas. nada que não se esperasse. resolvi então 'salvar-me' e fui praxar no curso que me praxou (que é o que faz mais sentido): GRH!

grh, um curso fantástico! em termos de pessoas, que em termos de curso nunca gostei (foi por isso que mudei). eu não consigo ser 'má', por isso não praxei muito, lol. era sempre 'a veterana que 'fechava os olhos' a quem mexia no telemóvel a meio de uma praxe'... lol.

o primeiro dia é sempre o 'pior'. ninguém conhece ninguém, nós a eles, eles a nós e eles entre eles... mas, por alguma razão, no segundo dia, voltaram todos, ou quase. apesar de que ao fim do primeiro dia já estava tudo muito mais desinibido.

o segundo dia foi uma verdadeira seca. pelo menos para mim. não estava muito 'no espírito'. além disso, estava eu muito bem sentadinha num banco quando um grupo de gajos ao meu lado começa a fumar ganzas. NÃO, NÃO FUMEI! mas ainda estive ali a inalar o fumo uns 40 minutos. resultado: fiquei com UMA MOCA, que às 15h estava a ir para casa. adormeci no metro. adormeci nos dois autocarros que apanhei. deixei passar algumas paragens. cheguei a casa, só me descalcei, deitei-me, adormeci, acordei às 21h e lembro-me de pensar 'já são 7h? já é hora de acordar?'... às 22h30 já estava a dormir outra vez e só acordei no dia seguinte às 10h. QUE PEDRA! E NÃO FUMEI! LOOOOL.

o terceiro dia foi o melhor dos três, para mim: o BAPTISMO!! houve confronto com a FCUL, como já é tradição todos os anos, eu de Traje e de Capa traçada completamente a DESTILAR com 35ºC de temperatura e debaixo de um sol de chapa, já pra não falar do calor humano. mas pronto, apesar dos afrontamentos horríveis, foi engraçado. acho que 'ganhámos' nós, somos 'mais que as mães', só o quádruplo deles. à última da hora - e sem sequer saber se podia apadrinhar alguém de grh sendo que já tinha mudado de curso - arranjei um afilhado xD do MAIS AMOROSO que pode haver. e depois de o baptizar, o que é que nós fizemos? FOMOS TODOS TOMAR BANHO NO LAGO DO CAMPO GRANDE. siiim... eu sei que é nojento. nem quando era caloira fui, e estava com roupa normal. desta vez, estava de traje. e fui de traje. fomos todos. foi um momento único. depois daquele confronto e com aquele calor, soube pela vida. e digo já: se eu estive naquela água, que me dá pela cintura mas que de tão suja está verde, e não fiquei doente, não há Gripe A que resista ao meu sistema imunitário :P (a parte de estar no autocarro durante uma hora completamente ensopada em água de lago é que era dispensável, mas ninguém morre por isso LOL).

5ª feira já não houve praxe (e eu fui para lá às 9h30 a achar que ía ter aulas e não tive nada, furo a tudo... ISTO NÃO É NORMAL), mas à tarde houve o tradicional e famoso e sempre divertido RALLY TASCAS! consegui a proeza de gastar menos de um euro e beber muito mais que um euro. ainda poupei no tabaco, comprei um maço a meias mas fumei muito mais que meio maço (isto não é habitual, atenção. era uma ocasião especial)! e não, não fui lá para me embebedar, apesar desse ser o objectivo destes rallies. não bebi o suficiente. comecei a dar-me mais com caloiros com quem nem tinha falado nas praxes. foi a troca de numeros, mails. foram as conversas interessantes. foi eu sentar-me no meio do chão do rossio porque estava há horas em cima de umas sandálias de salto e já não podia mais. foi a rosa que o andré me deu. e o meu padrinho com 'ciúmes' que me deu uma flor feita com cartão. foi um caloiro que me levou à paragem do autocarro, e que depois de meia-hora à espera à conversa, eu cheguei à conclusão de que o autocarro que eu tinha de apanhar era no sentido contrário, e ele foi comigo (não estava bêbada mas também não completamente sóbria). QUE AMOR. foi excelente. foi o ponto alto da semana. o auge.

no dia seguinte, 6ª, às 8h da manhã, estava lá para ter aulas. há que saber separar a rambóia das coisas sérias e eu neste curso vou-me empenhar a sério! já perdi um ano (desperdiçado em termos de curso, apesar de ter sido um dos melhores em tudo o resto), agora é para ter média de 15 no mínimo! LOL, sou profissional :D

resumindo e concluíndo: a semana das praxes é uma das melhores fases da vida académica. só quem passa por isso o percebe, quem passa por isso vive os dias dos dias. acho que qualquer caloiro devia passar por isso. ser praxado e praxar. e no fim, sabemos que praxámos bem, como é suposto e sem abusos nem faltas de respeito, quando no 1º dia eram 15 caloiros, e no 3º eram 25 (isto é uma maneira de dizer, não andei a contar). é quando toda a gente sabe o nome de toda a gente e toda a gente tem o mail de toda a gente. e toda a gente está à vontade com toda a gente. é quando há a VERDADEIRA INTEGRAÇÃO. aí sabemos que cumprimos o nosso 'objectivo'. e que tenham um óptimo ano lectivo! mas destas tretas todas sentimentais eu já falei o ano passado, não me vou repetir ainda mais :P

BRUTAL. "como é que é, como é que é? iscte iscte, conas abertas, caralhos em pé".


Muaah @

Aparte

não impliquem com a musica do meu player... NÃO É KIZOMBA... e é gira... dá vontade de dançar quando se está na disco... epa, é gira pronto! :D

3 comentários:

Olhos Dourados disse...

Bem, espero que as vossas praxes sejam mesmo assim, sem arrogancias só para inferiorizar os caloiros, porque isso não é nada fixe!

Menina disse...

Para mim, o ambiente que se vive em praxe é mesmo do melhor que há!
Posso dizer que tenho vivido em praxe dos melhores momentos e mais sentidos da vida académica =') tanto divertidos, como alguns mais a puxar pela lágrima lol mas todos muito bons!

Agora como doutora, as coisas vivem-se de forma diferente..perceber o que os caloiros estão a passar, os medos que também já tivemos..etc..

Quando vi 15/25 caloiros pensei: oh meu deus, é que os nossos são cerca de 175 xD Uma massa de gente mesmo..

beijinho* por aqui continuo com as praxes, até Maio não se pára =P

Shakti disse...

Das melhores fases da vida !!!

bj