14 de junho de 2010

' Se gosto de ti, se gostas de mim... não chega.



Há dias estive a falar com o Bruno sobre o que é que ele achava sobre as relações entre pessoas de níveis sócio-económicos diferentes. Tivemos a "discutir" (no sentido de debater, conversar, brainstorming) sobre isso até às 5h30 da manhã, nem demos pelo tempo a passar. eu estava a estudar Psicologia do Desenvolvimento ao mesmo tempo, que eu sou multitasker, adoro fazer coisas ao mesmo tempo. passados uns dias, li sobre este assunto no blog da Kitty Fane e resolvi escrever sobre isso.

adiante. ele (Bruno) ainda tem aquela visão muito idílica do "amor e uma cabana". o amor chega. o "se gosto de ti, se gostas de mim, se isso não chega tens o mundo ao contrário". eu também acreditava, ou melhor, queria acreditar nisso. mas nunca acreditei verdadeiramente. o meu pai sempre me alertou para o facto de eu arranjar um marido que estivesse ao mesmo nível que eu (claro que ele dizia isto a brincar, não estava nos meus planos, nem nos dele, eu casar-me com 15 anos. mas a brincar se dizem as verdades). não que eu seja rica ou vá ser, mas noutras dimensões, como o da ambição. sou uma pessoa extremamente ambiciosa. não gananciosa, mas ambiciosa. não sou conformista, quero sempre mais e mais, sou feliz com o que tenho e com o que sou mas, ao mesmo tempo, quero sempre atingir o meu melhor, o meu auge. confio em mim e sei que, na vida, hei-de ir longe. posso não vir a ser rica, mas hei-de ir longe em termos de realização pessoal. e mesmo quando lá chegar, vou querer sentir-me ainda mais satisfeita do que sinto. e o meu pai sempre viu isso. é com toda a certeza a pessoa que me conhece melhor no mundo. claro que o meu pai colocava isto numa situação extrema, às vezes até gozava um pouco com a situação e dava o exemplo dele e da minha mãe, que se divorciaram justamente por esse motivo (entre outros) - diferenças a nível de ambição e do que se quer da vida.

aos poucos, fui-me apercebendo disso por mim própria: casais à minha volta que não funcionavam por causa disso. eu própria, na relação mais longa que tive até hoje (até ver), apercebi-me de que os motivos para termos acabado foram vários, mas um dos principais foi: eu ser a ambiciosa e a sonhadora, ele a ter aquele tipo de personalidade conformista que eu nunca gostei de ver em ninguém.

a verdade é que o amor é muito bonito mas, quando a paixão acaba, o que fica é a cumplicidade, o respeito, e a admiração mútuas. como pode uma pessoa que quer sempre mais e mais da vida admirar uma que vive muito à base do "aqui me queres, aqui me tens"? nunca gostei de pessoas conformistas, que se vão deixando, que é mais um dia, que quando chegar o fim-de-semana vai ser melhor. mas por incrível que pareça, até hoje só namorei com gente assim. era eu sempre a querer mais, a sonhar, a ambicionar, e eles sempre no "tenho orgulho em ti, mas vou-me ficar pela vidinha que tenho". deve ser algum defeito no meu sistema de atracção passional =P
tenho medo, muito medo. como pessoa ambiciosa que sou, não quero ficar presa a alguém que não o seja. e agora, sendo imparcial e afastando-me da questão do Bruno (que, até ver, é a paixão da minha vida para os próximos anos, ainda que esteja bem longe dos nossos - meus e dele - planos vivermos juntos ou what-so-ever), um dos maiores medos da minha vida é: ambiciosa como sou, e se eu me apaixonar (ao ponto de querer construir uma vida com) por alguém que me corte as asas?

é complicado. o "amor" não é assim tão linear.

Muaah @



"Gosto tanto de ti"
"oh :) eu também"
"gosto mais de ti do que de mim"
"não gostas nada"
"gosto sim"
"não devias"
"porquê?"
"porque nenhum amor se deve sobrepor ao amor-próprio"

11 comentários:

José Correia disse...

Escreves pelos dedos tu.

"o "amor" não é assim tão linear."

"(posso dizer que sim, que és a curva na linha recta monótona do amor,
que és amor numa outra direcção)"

discordamos ou concordamos.

Escreve, por quem escreve é maior.

S* disse...

Bem, seres ambiciosa pode ser um impasse se o teu parceiro for muito conformado... chateia.

OMOPrjct disse...

Amei ler o "diálogo" final, e a última frase diz tudo...
Devia lembrar-me sempre disso. Provavelmente, dificilmente não me irei esquecer de me lembrar...

Compreendo perfeitamente o que escreves. Quando as expectativas de vida começam a alterar-se, entre as pessoas do casal, começam a nascer problemas que não haviam antes. E a falta de obejctivos/ambição ou whatever you wanna call it, pode minar pela raiz algo bom. Há que ter atenção, e cuidado para que tal não suceda... Mas há tanta coisa fora no nosso controlo. Essa também pode ser uma delas...

Beijinhos ;)
*************
Vasco

Anónimo disse...

O teu post baralha-me:

Então começas a defender a ideia que os níveis soció-económicos têm influencia num plano amoroso e relacional e justificas isso com eventuais diferenças de personalidade entre pessoas.

Hmm .. =b

Olhos Dourados disse...

Pois, isso pode ser complicado, principalmente um não compreender o outro.

ADEK disse...

Às vezes é preferível serem de níveis económicos diferentes, porque se forem os dois pobres é complicado... Se um deles for rico, já pode orientar as coisas:P

Estou mais ou menos a brincar, mas na verdade também não acredito nessa do "amor e uma cabana". Até porque discussões de cariz económico, em tempos problemáticos, podem arruinar todo o amor que exista. No entanto, se houver uma verdadeira ligação entre as duas pessoas, acho que tudo se arranja:)*

Botas disse...

Cortar as tuas assas?nucna baby.=)

<3

Ricardo disse...

Um amor e uma cabana para mim não chegam.
Eu por acaso sou uma pessoa um bocadinho esquisita nesse aspecto.
Não Gosto de estar numa relação aonde a outra pessoa se torna dependente de mim.
E isso já me levou a acabar uma ou outra, nem sei bem explicar.
Não SUPORTO que me tentem mudar, ou que mudem drasticamente por maior que seja o amor acho que nada justifica mudar de personalidade só para agradar o outro.
Nunca fiz planos para o futuro no plano afectivo mas sei que não me vou contentar com uma pessoa que me restrinja, já tive disso e foi extremamente infeliz (não não quis cortar os pulsos ao som da celine Dion, mas não me sentia bem com essa situação...)
Quanto a essa coisa dos níveis socioeconómicos... sinceramente depende muito das pessoas. conheci já muitas meninas ricas que eram umas grandessisimas cabras sem um pingo de humildade e noção das dificuldades da vida, e muitas jovens que poderiam ser apelidadas de "sopeiras" que são óptimas companheiras para qualquer pessoa.
se começarmos a pensar que não vai resultar com uma pessoa só por ela ser de um nível social diferente do nosso não gostamos assim tanto dela, e mesmo não sendo necessário só o amor e uma cabana há sempre um mínimo de percentagem de amor requerida a cumprir... digo eu xD
e Pronto já fiz um big comment.
ninguém manda pores me praqui a filosofar sim?

Ah e ouve esta música:

http://www.youtube.com/watch?v=EhF0k5_UDvM

Voltamos ao Jazz xD

hernameishistory disse...

"O amor e uma cabana" não resulta.
Embora eu tenha uma visão muito "fofinha" vá, do amor, sei que requer muito mais que isso a longo praso..e essa tua ultima frase (do dialogo) diz tudo mesmo! Quem me dera te-la posto na cabeça á anos..teria-me poupado a desgostos bem graves e que me marcaram para sempre, mas pronto cresci com isso e hoje tenho ao meu lado alguém com ambições, temos algumas em conjunto, mas sobretudo temos muitas só nossas, individuais. Coisa que, as pessoas quando se apaixonam se esquecem, é que continuam a ser alguém, não são só "o casal", são um ser individual e não têm de abdicar dos seus sonhos para construir só e apenas os que têm em conjunto.


Beijinho*

PS- respondendo a tua pergunta (esqueço-me sempre, desculpa) se passar no exame de Biologia com média decente vou concorrer este ano para o ISCTE ;D *figas*

Gilda David disse...

Interessante post.. e em alguns pontos sou da mesma opinião, como em relação a ambição! Também sou uma pessoa assim, e se há algo que não gosto sao pessoas conformistas que não tentam perceber o teu ponto de vista. E na verdade não é admirável que, como disseste, teres tido relações sp com pessoas assim! Porque é o que há mais por aqui, acho que é mesmo o estereotipo desta sociedade! E essas mesmas, pensam que coisas "maiores" do que o normal(como tirar curso, casar.. bla bla bla) são coisas raras e não para "nós", digamos assim! Enganam-se!

Já cheguei a colocar os outros em 1º, nao só no dito campo do Amor.. mas felizmente nunca deixei que alguém me impedisse de nada, sobretudo em relação aos meus sonhos, pq isso é o que nos completa e fará feliz a longo prazo!

No ultimo "dialogo", disseste tudo! ;D

Bjinhos**** E uma boa semana.

Gilda David disse...

Interessante post.. e em alguns pontos sou da mesma opinião, como em relação a ambição! Também sou uma pessoa assim, e se há algo que não gosto sao pessoas conformistas que não tentam perceber o teu ponto de vista. E na verdade não é admirável que, como disseste, teres tido relações sp com pessoas assim! Porque é o que há mais por aqui, acho que é mesmo o estereotipo desta sociedade! E essas mesmas, pensam que coisas "maiores" do que o normal(como tirar curso, casar.. bla bla bla) são coisas raras e não para "nós", digamos assim! Enganam-se!

Já cheguei a colocar os outros em 1º, nao só no dito campo do Amor.. mas felizmente nunca deixei que alguém me impedisse de nada, sobretudo em relação aos meus sonhos, pq isso é o que nos completa e fará feliz a longo prazo!

No ultimo "dialogo", disseste tudo! ;D

Bjinhos**** E uma boa semana.