26 de novembro de 2010

' Perdão.



Bem, pelo título deste post parece que vou começar aqui a debitar moralismos, mas nada disso.. não sou católica e MUITO MENOS MORALISTA, na realidade detesto moralismos baratos e chavões, tipo 'clichés', 'verdades universais', 'coisas que são assim e não se podem mudar ou não podem ser vistas de outra maneira', lol. e em muito boa verdade detesto pessoas q pensam assim. ainda menos aquelas que só pensam assim porque 'toda a gente pensa assim' e não porque acreditam reealmente e defendem com unhas e dentes aquilo em que acreditam, estas últimas já têm uma atitude louvável.

mas há muito que estou para fazer um post sobre a importância do PERDÃO nas nossas vidas, pois passei por algumas experiências que felizmente (e é para isso que as más experiências servem - para aprender), me permitiram aprender que, após uma má fase, quando alguém nos magoa ou faz algo mesmo muito mau, que nos ofendeu, etc etc... para 'seguir em frente' é preciso saber perdoar, à pessoa que nos fez tal. e porquê? porque se não perdoarmos, vai haver sempre um assunto mal resolvido no nosso passado que não nos deixa, lá está, seguir em frente e esquecer que isso aconteceu. e quando digo perdoar, não é dizer à pessoa "estás desculpado" sem sequer ele ter pedido desculpa. é perdoar connosco mesmos, "para mim, estás perdoado, é como se nunca tivesse acontecido, és uma pessoa igual às outras todas no mundo e não guardo rancor". não é preciso nunca mais dirigirmos palavra à pessoa nem tornarmo-nos amiga dela, mas é essencialmente, saber que, para nós, isso passou, não há rancor nem ódio dentro de nós, podemos estar em paz connosco mesmo e de consciência tranquila, porque, afinal, quem guarda o ódio e o rancor somos NÓS e não o alvo do nosso ódio.

resolvi escrever este post porque, aqui há algum tempo atrás (muito tempo atrás), a meio de uma conversa via sms, a pessoa em questão disse uma frase que me chamou a atenção: "falham uma vez e não perdoo, tal como não perdoo a mim próprio quando falho". fiquei chocada porque, se ele não perdoa, está lixado da vida. porque toda a gente que passar pela vida dele, o vai magoar a algum ponto, é infalível, todos erramos e falhamos como seres humanos que somos. se ele é assim tão implacável e nunca desculpar ninguém, nem a ele próprio, espera-lhe uma vida de muito rancor guardado... muito assunto por resolver! não percebo. não estou a criticar a forma como ele pensa, cada um pensa como quer, mas não consigo perceber. qual é a dificuldade de desculpar um erro? não gostamos de ser desculpados quando somos nós a errar e nos arrependemos?

pareço um padre a falar, que era precisamente o que eu queria evitar. mas é a minha forma de ver as coisas: todos passamos por experiências traumáticas, todos encalhamos em pessoas que nos desiludem e magoam. guardar rancor é a solução? perder a confiança é solução? ficar o resto da vida a rogar pragas a tal pessoa é solução? não. porque o rancor e a desconfiança fica em NÓS, não na pessoa que nos fez mal. por isso é que eu me dou bem com quase todos os meus ex-namorados, se for preciso falo bem com uma pessoa que me magoou no passado, como se nada tivesse acontecido. por isso é que, hoje sei que, se me cruzasse na rua com o meu ex-padrasto, que bateu na minha mãe e uma vez em mim, não mudava de passeio. 'bom dia' ou 'boa tarde' estava bom. se eu me cruzasse na rua com o grupo de rapazes responsável pelo bullying que sofri na escola no secundário, ou por outras pessoas quando era mais nova (se for a ver bem, sofri de bullying desde a primária até ao 12º ano, mas porquê ficar a cismar nisso e a fazer-me de vítima?) falava com eles se falassem comigo (aliás uma das raparigas que me atormentou durante anos está agora no mesmo curso e faculdade que eu, e verdade seja dita, não sou propriamente amiga dela, mas tb não guardo rancor e se ela me cumprimentar eu consigo ter uma conversa de circunstância com ela, porque I got over it)... e como eu já os ODIEI... mas não ignorava porque perdoei. perdoei, esqueci, segui em frente, segui tranquila e confiante e por cima de tudo mostrei que sou forte e não é qualquer coisinha que me afecta ao ponto de eu não conseguir ultrapassar.


há pessoas que ficam a cismar em situações e pessoas que as magoaram... só me apetece dizer: c'mon GET OVER IT!!!


Muaah @

3 comentários:

Menina disse...

Em situações mais sérias tenho alguma dificuldade em perdoar..mas acho que a tua forma de pensar é mesmo a mais correcta =)

Também tive um ou outro problema familiar sério, quando era mais nova, e sentia uma grande raiva dessas pessoas.
Para veres, eu que sou e sempre fui bastante pacífica e nunca gosto de muita confusão, cheguei quase a bater a essas pessoas lol caso a minha mãe não me tivesse impedido.

Neste momento são-me indiferentes, já não sinto raiva, mas não perdoei. Principalmente porque me fizeram "mal" numa altura em que ainda era pequena e, uma vez que já eram adultos, tinham mais do que obrigação de se saberem comportar. Pode ser que um dia consiga perdoar completamente.

Agora, em relação a coisas menores, aí muito facilmente esqueço e perdoo ;) E até posso ficar magoada, mas passado algum tempo está tudo bem.

beijinho*

Marga disse...

Não te esqueças do factor tempo. Às vezes demora a conseguir-se perdoar uma pessoa, consoante a gravidade do que ela fez.

Eu pessoalmente sou uma pessoa efusiva, no meu caso em específico, fui vendo e engolindo, a pessoa em questão foi mais que avisada e mesmo assim .. Até ao dia em que a verdade vem ao de cima (como vem sempre). Nunca me tinha visto assim, até uma bruta de uma peixeirada ao pé da estação do cais do sodré eu fiz, tal era a minha ira. Eu nem sou dessas coisas, odeio chamar à atenção principalmente desta maneira, mas naquele dia era impossível.. não dava, por muito afastados que estivéssemos da estação, não deu para evitar ouvir o silêncio dela e toda a gente a olhar para mim a mandar um gajo que me traiu a 'relação' inteira à merda.

Eu tenho dificuldade em perdoar este tipo de coisas, a não ser que a pessoa em questão faça muito por isso, como está a acontecer agora. É sempre complicado, principalmente com a minha maneira de ver as coisas. Ai se ele não fizesse nada, eu acho que lhe tinha batido lol

Enfim, desculpa o desabafo, não quanto tempo demorarias tu a perdoar algo semelhante ao que me aconteceu, mas para isso também teria de contar a história toda..

Beijinhos

Botas disse...

Dizem que o tempo é o melhor remédio para tudo.=)

<3