12 de março de 2011

' Sou uma péssima pessoa.

Não aderi ao protesto geração à rasca. na realidade, nunca aderi a nada disso. nunca fui a uma manifestação, a um protesto, a um ajuntamento. vejo o noticiário das 20h para ver as catástrofes, pouca atenção dou à política, não leio jornais, sou alheada do mundo,

Dormi até tarde, fui trabalhar, estive lá pouco tempo, podia perfeitamente ter ido até ao Rossio. mas não fui. vim a casa, sentei-me no sofá a comer bolachas de água e sal com doce de morango e a ver o protesto geração à rasca pelo noticiário. depois, mais tarde, podia ter ido à mesma, mas não, fui dar uma volta pelo CCB com a Vera. tenho que curtir o facto de pela primeira vez, nesta semana, não estar doente. (lol).

Respeito imenso os protestos e manifestações, digo desde já. Mas também acho que não vai resolver grande coisa. Acham mesmo? esse protesto, tal como aquela manifestação geral do dia 24 de Novembro de 2010, para mim, só serve para as pessoas, no seu interior, poderem dizer a si mesmas "eu fui ao protesto, eu fiz alguma coisa para mudar, por isso não me sinto tão mal por me queixar apenas". isso é tão bonitinho na teoria, é sim senhora. mas, vá lá, vamos aos termos práticos: vai mudar alguma coisa? acham que o Sócrates vai comover-se ao olhar para as pessoas a dizerem que "isto não pode ser assim, o leite está muito caro"? a sério? eu já vejo a lagriminha no canto do olho do senhor.

Enfim, mais uma vez digo, respeito imenso. Mas não adiro. Se um dia me disserem: "vamos invadir o parlamento à força", aí eu vou, adoro moches e violência colectiva e coisas assim (just kidding). agora, andar pelo Rossio, das 15h às tantas, e no dia seguinte estar tudo igual, e no dia a seguir, e no dia a seguir?

Podem chamar-me de conformada, descrente, whatever. É o que sou mesmo. sobretudo, uma descrente. não acredito que as coisas vão mudar muito por aqui, mas em vez de me queixar porque me cortaram a bolsa e os benefícios, o que é que eu fiz? fui trabalhar. e não descansei enquanto não encontrei alguma coisa, não fiquei em casa a queixar-me, coitadinha de mim, da minha vida, o meu país é uma merda. ao contrário de algumas pessoas que nem sequer se preocupam em arranjar trabalho, queixam-se que nunca podem fazer nada porque não têm dinheiro mas não as vejo a fazer nada por isso. o problema é que há muita gente que se queixa, mas continua a ter uma vida de regalias. vejo tantos colegas meus a queixarem-se que as propinas estão muito caras, mas todos os dias almoçam na faculdade, e não vão à cantina, claro que não, é logo um menu do bar do tó, só qualquer coisa como 4 euros por dia. vão sair todos os fins-de-semana, têm uma vida social altamente activa, aposto que só nisso devem ir uns 100 euros por mês, no mínimo. e isso sim, verdadeiramente, revolta-me. porque eu não fui ao protesto geração rasca, mas eu poupo todos os euros que ganho com o meu trabalho. ok, tudo bem, a semana passada tive um rasgo e gastei imenso dinheiro em roupa. mas, e das outras vezes? das outras vezes que nunca gasto dinheiro comigo mesma, para me mimar? os dias que eu não almoço, que levo um leitinho com chocolate para a faculdade, os jantares de curso (e outros) a que eu não vou porque são logo aos 15euros, mais discoteca 10 euros, já vai nos 25, sem contar que depois seria preciso táxi para casa, os convites para fins-de-semana passados fora que eu recuso? god, na verdade há até pessoas que me chegam a dizer "eu convido-te para as coisas, mas tu dizes sempre que não porque não tens dinheiro". e as vezes que eu passo em lojas e penso "oh, queria tanto este vestido", "oh queria tanto estes sapatos", ou num cabeleireiro e penso "oh, preciso tanto cortar o cabelo, está enorme, mas aqui são 30 euros"? E o que eu me esforço para, num curso com uma taxa de desemprego enorme, conseguir alguma coisinha na minha área (e já estou a pensar seriamente, mesmo seriamente, em sair de Portugal quando acabar a licenciatura)? E muitos dos meus colegas que se queixam que estão a pagar uma enormidade de propinas (que não aumentaram assim tanto, só 20 euros em 3 anos), mas que não ligam nenhuma, faltam as aulas, não fazem os trabalhos, ficam no bar a mamar imperiais? Aposto que algumas delas estão no Rossio. com que moral? C'mon.

Eu não fui ao protesto geração à rasca. Pronto, sou uma péssima pessoa.

3 comentários:

Ricardo disse...

Por acaso há uns tempos estive pa escrever um post sobre a mentalidade portuguesa. o coitadismo reina em terras lusas. pelo menos 40% das pessoas que se queixam mesmo ensta manif queixam-se "por arrasto" eu acho que é giro mas é basicamente mais pelo gozo de ir fazer a manifestação do que outra coisa. daqui a 2 meses já ninguém se lembra disso.
Partilho contigo desses pontos de vista todos xD

→ Calipso disse...

totally agree. realmnt comentei isso com os meus pais a hora do jntr. yh tudo bem qe se foram manifestar mas e depois ? nao vai alterar nada. o socrates diz qe percebe os jovens e nao sei qe mais. dps promete umas merdas qe nunca serao cumpridas and we're back to the same place... enfim --'

Botas disse...

Já somos dois,xD

<3