26 de abril de 2011

Podia falar do que fiz para comemorar o meu aniversário. Podia falar das conversas (altamente) interessantes que tive com o meu pai este fim-de-semana, designadas por ele como "A Conversa dos 21 Anos", e que duraram horas. Podia falar de como estou numa fase da minha vida em que a minha perspectiva acerca do que me rodeia está a mudar (bastante) de dia para dia. Podia falar de como as pessoas cada vez me surpreendem mais (negativa ou positivamente) e de como aprendo tanto com elas e de como, acidentalmente ou não, já começo a fazer uma "triagem" de com quem me quero dar, de quem quero ser próxima, quem quero ter presente na minha vida. (Ainda das pessoas), podia falar de como, durante o dia, me lembro de tantas coisas, sobre pessoas e seus padrões de comportamentos e atitudes, que queria escrever no blog. Podia falar de como descobri que, afinal, a minha família não é assim tão pequena, e que tenho familiares de Moçambique em Portugal, em Lisboa, e que num só dia conheci milhentos primos em 2º e 3º graus e que afinal sempre tenho mais influências do que apenas a portuguesa/caucasiana e a africana. Podia falar que no meu dia de anos assisti a um dos ataques de pânico/ansiedade mais fortes e mais aflitivos que eu já vi acontecer à minha frente. Podia falar da piada que eu e a Vera temos em relação ao post abaixo e ao "Gandhi", sobre aquele rapaz que conhecemos que era tão burro, tão estúpido, tão limitado e tão idiota, que apelidámos de "Gandhi" por não saber quem era o Gandhi, e para querm inventámos uma categoria abaixo do 1, "o zero", e que sempre que mandamos essa piada nos rimos que nem perdidas. Podia falar de que as aulas já começaram e se há coisa que não tenho tido é paciência para aulas e trabalhos, e só de pensar que amanhã tenho aulas das 8h às 17h30 dá-me vómitos - podia falar de como hoje quase adormeci numa aula de tão seca que estava a ser. Podia falar de que estou farta do facebook, há dias que não actualizo o meu estado com nada de interessante. Podia falar da minha preparação para o Erasmus, das músicas que ando a ouvir, dos livros que ando a ler (e das obras de arte que de vez em quando descubro). Podia dar os parabéns à minha mãe, que faz anos hoje. Podia falar de como há uma semana que, por uma razão ou por outra, não durmo mais que 6 horas, e me sinto exausta, e talvez seja por isso que tenha andado sem paciência, mesmo. Mas não me apetece, sabem? Não me apetece falar de nada. Não me apetece escrever. Nem sequer me apetece pôr "etiquetas" nem título nem imagens nem nada de floreados neste post. Estou a ficar farta do meu blog.

 E isso é tão raro.

2 comentários:

Marga disse...

raro, e temporário ;)

Botas disse...

Isso passa.=p

<3