14 de dezembro de 2008

' Moving #6 - alternativas?

Claro que, quando se põe um problema, pensa-se naturalmente numa solução. Não pensem que ando aqui só a queixar-me. Já pensei em soluções de sítios para ficar temporariamente enquanto a minha casa não tiver condições mínimas para habitar... (sem ser em casa da minha avó).

1 - casa de uma amiga/amigo? os meus pais não vão muito nisso. e enquanto forem os meus pais a sustentarem-me ainda têem alguma palavra a dizer. além disso não quero abusar de ninguém, o meu temporariamente é indefinido, e não durante uma semana;

2 - casa dele. era perfeito (ou então não, porque tou mesmo a ver o que ía acontecer, ía sair todos as noites com os amiguinhos e deixar-me pendurada, como aliás faz actualmente) . os meus pais, óbvio, totalmente contra;

3 - outros familiares ? não tenho mais familiares próximos (a família do meu pai está em Moçambique);

4 - casa do meu pai. é igual a viver com a minha avó, mas de outras maneiras. ele chateia-me, mas de outras maneiras. pode ser o melhor pai do mundo, mas detesto controles e, controlo por controlo, aqui sempre estou em Lisboa (já que ele vive no meio do nada com um comboio a meia-hora a pé de distância.. baah odeio viver longe de Lisboa) .

A questão que aqui se põe é o meu estilo de vida. Amo de paixão os meus pais e a minha avó, apesar de não ser a melhor família do mundo, mas há estilos de vida diferentes e incompativeís. Desde sempre que fui muito livre e, logo, independente. A partir do momento em que a minha mãe ficou com a minha guarda aquando do divórcio dos meus pais (eu tinha praí 3 anos), o meu estilo de vida seria diferente de qualquer outra criança xD a minha mãe sempre foi mais minha amiga do que mãe. não havia aquela preocupação de mãe. nunca se preocupou muito comigo - e por um lado ainda bem. na 3ª classe (com 8 anos) já eu andava sozinha de transportes públicos para trás e para a frente em Lisboa - até me lembro das professoras da escola ficarem horrorizadas com isso, os pais dos meus colegas íam buscá-los todos os dias à escola . com 9 anos já passava noites sozinha em casa. sabia aquecer a comida que a minha mãe me deixava e jantar sozinha quando ela trabalhava em turnos da noite. de certa forma foi por isso que me tornei independente, e ainda bem. prefiro assim a ser uma menina mimada que não sabe estrelar um ovo nem lavar uma par de cuecas porque sempre teve alguém que fizesse isso por ela. portanto, sempre tive quase liberdade total, mas também não a utilizava muito nessa altura, porque com 11 anos ainda brincava com bonecas e ía para casa todos os dias a seguir à escola ver o Batatoon. lol. mais tarde, os anos da adolescência trouxeram-me mais necessidade de utilizar essa liberdade. apesar do meu pai me controlar à distância, eu lá arranjava maneiras de escapar, de ir sair com amigos a seguir às aulas, de me escapulir para ir ter com namorados ou amigos especiais. aprendi formas de ter liberdade dentro do controle à distância que o meu pai fazia, precisamente porque era controle à distância. eu percebo a perspectiva dele, atenção. se eu tivesse uma filha com 14 anos a sair da casca com uma mãe libertina que não se preocupava nada por onde ela andava, também ía querer controlá-la. lol. mas claro que eu não deixava de fazer o que queria por causa disso. o problema é que só era possível vivendo com a minha mãe, porque aquele controle de perto não existia, nunca existiu. agora, depois de 18 anos habituada a esse estilo de vida, imaginem o que é, vir pra casa da avó ou - alternativa - ir pra casa do pai, ambas totalmente incompatíveis com o estilo de vida que sempre tive ?? é impossível. é o mesmo que obrigarem uma pessoa de 70 anos a mexer num computador. vou para casa do meu pai ser controlada da mesma forma que o sou aqui. não posso andar de saltos, não posso receber encomendas da Yves Rocher em casa (o meu pai odeia essas coisas e diz que são tudo tretas mas quando é pra me dar dinheiro também é preciso quase implorar LOL), tenho horas pra estar em casa, horas pra comer, horas pra dormir, horas pra estudar, horas pra isto, horas para aquilo.. demasiada disciplina. nunca vivi com disciplina, e no entanto sempre fui responsável e saudável ! os meus pais sempre puderam confiar em mim. está é mesmo uma questão de estar habituada desde sempre a um estilo de vida que agora foi forçado a mudar (se bem que em termos de liberdade tenho mais em casa da minha avó).

resumindo e concluíndo, não há alternativa possível. tenho de aguentar. estou acorrentada! e a minha paciência a chegar ao limite... sei que ultimamente ando a carregar demasiado na mesma tecla, e peço desculpa (quer dizer, não sei porquê, o blog é meu e escrevo o que eu quero, mas este 'desculpa' agora saiu-me e fica bem no meio de tudo :P LOOL) mas é que estou, literalmente, a dar em doida.

10 comentários:

Pedro Barata disse...

Tem calma... Stressares só piora as coisas!

Beijocas

caditonuno disse...

eh pá! já nao vinha aqui há uns bons dias e agora que chego é terra por todos os lados, louça em cima de tudo quanto é rectangular, pessoal a trabalhar no duro...

mas afinal o que é que se passa? uma nova casa de raíz? caiu alguma bomba? estás a aumentar a casa?

conta aí sucintamente que eu depois volto quando estiver tudo mais calmo.

B! disse...

Acho que uma das coisas mais importantes na vida de um adolescente é o seu quarto, o seu espaço, as suas coisas e a sua liberdade! E quando não se tem nenhuma delas é o caos!

Compreendo-te perfeitamente e espero que tenhas a tua casa pronta depressa!

S.A. disse...

Bora cá pra casa que depois é festa todos os dias :D

Vá tem calma por ai, vais ver que isso é uma fase. embora eu saiba bem o que é ter a avó a viver na mesma casa. porque tive a minha aqui por uma semana e foi terrivel, e as discussões dela com a minha irmã que também cá estava então... ui, minha nossa...

Shakti disse...

Apenas te posso dizer para teres calma ...são fases da vida de uma pessoa ...olha para trás e lembra-te bem ...de certeza que já viveste situações piores e agora estás aqui ....calma ...a casa fica pronta quando menos esperas ...

bj

Maria disse...

Pensa também que secalhar a tua avó não te faz isso por mal.. Não estavas era habituada...

Mas nao desesperes..

bjnho.

Andreia do Flautim disse...

Não podes andar de saltos?? Não percebi... então porquê?

Eu percebo isso do estilo de vida, os meus pais também sempre me deram liberdade que eu sempre precisei, e sempre fui responsável.

P.S. Eu tenho ainda outro casaco parecido àquele, mas cinzento. Casacos, botas, sapatos... minha perdição!! Ainda ando a namorar outro casaco preto e outro verde... mas a ver se guardo para os saldos senão ainda vou à falência! LOL

Menina disse...

Eu também tenho bastante liberdade e compreendo-te, mudar de estilo de vida de um momento para o outro é muito dificil..

Tens de ter calma (sei que é uma coisa fácil de dizer e complicada de fazer), mas acho que é a única solução..até poderes ir para a tua casinha =)

beijo*

Ladybug disse...

Tens é de ter calma e aguentar tudo bem firme...

Tudo acaba por passar ;)

_+*A Elite in Paris*+_ disse...

Eu tenho uma pergunta: e durante estas obras sem fim na tua casa, onde esta a tua mae a morar?

Beijo meu ♥,

A Elite