4 de julho de 2009

' Perdão.

Bem, pelo título deste post parece que vou começar aqui a debitar moralismos, mas nada disso.. não sou católica e MUITO MENOS MORALISTA, na realidade detesto moralismos baratos e chavões, tipo 'clichés', 'verdades universais', 'coisas que são assim e não se podem mudar ou não podem ser vistas de outra maneira', lol. e em muito boa verdade detesto pessoas q pensam assim. ainda menos aquelas que só pensam assim porque 'toda a gente pensa assim' e não porque acreditam reealmente e defendem com unhas e dentes aquilo em que acreditam, estas últimas já teem uma atitude louvável.

mas há muito que estou para fazer um post sobre a importância do PERDÃO nas nossas vidas, pois passei por algumas experiências que felizmente (e é para isso q as más experiências servem - para aprender), me permitiram aprender que, após uma má fase, quando alguém nos magoa ou faz algo mesmo muito mau, que nos ofendeu, etc etc... para 'seguir em frente' é preciso saber perdoar, à pessoa que nos fez tal. e porquê? porque se não perdoarmos, vai haver sempre um assunto mal resolvido no nosso passado q não nos deixa, lá está, seguir em frente e esquecer q isso aconteceu. e quando digo perdoar, não é dizer à pessoa "estás desculpado" sem sequer ele ter pedido desculpa,lol. é perdoar connosco mesmos, "para mim, estás perdoado, é como se nunca tivesse acontecido, és uma pessoa igual às outras todas no mundo e não guardo rancor". não é preciso nunca mais dirigirmos palavra à pessoa nem tornarmo-nos amiga dela, mas é essencialmente, saber que, para nós, isso passou, não há rancor nem ódio dentro de nós, podemos estar em paz connosco mesmo e de consciência tranquila, porque, afinal, quem guarda o ódio e o rancor somos NÓS e não o alvo do nosso ódio.

resolvi escrever este post agora porque, uma noite destas, a meio de uma das minhas habituais longas conversas via sms com o menino Tiago, ele disse uma frase que me chamou a atenção: "falham uma vez e não perdoo, tal como não perdoo a mim próprio quando falho". fiquei chocada, porque 1 - ele acha que eu 'falhei' ao escrever o que escrevi sobre ele, ou sobre 'nós', aqui no blog, quando quem falhou mais aqui foi mesmo ele, ao iniciar tudo, quem falhou para comigo foi ele, quem está a sofrer sou eu, quem é ele para falar em falhar? (ja sei que depois de escrever isto ele vai mandar-me uma sms a dizer q eu só falo mal dele e sujo o nome dele em praça pública e bla bla bla wiskies saquetas LOL); 2 - se ele não perdoa, está lixado da vida. porque toda a gente que passar pela vida dele, o vai magoar a algum ponto, é infalível, todos erramos e falhamos como seres humanos que somos. se ele é assim tão implacável e nunca desculpar ninguém, nem a ele próprio, espera-lhe uma vida de muito rancor guardado... muito assunto por resolver! não percebo. não estou a criticar a forma como ele pensa, cada um pensa como quer, mas não consigo perceber. qual é a dificuldade de desculpar um erro? não gostamos de ser desculpados quando somos nós a errar e nos arrependemos?

meu deus, pareço um padre a falar, que era precisamente o que eu queria evitar. mas é a minha forma de ver as coisas: todos passamos por experiências traumáticas, todos encalhamos em pessoas que nos desiludem e magoam. guardar rancor é a solução? perder a confiança é solução? ficar o resto da vida a rogar pragas a tal pessoa é solução? não. porque o rancor e a desconfiança fica em NÓS, não na pessoa que nos fez mal. por isso é que eu me dou bem com quase todos os meus ex-namorados, se for preciso falo bem com uma pessoa que me magoou no passado, como se nada tivesse acontecido. por isso é que, hoje sei que, se me cruzasse na rua com o meu ex-padrasto, que bateu na minha mãe e uma vez em mim, não mudava de passeio. 'bom dia' ou 'boa tarde' estava bom. se eu me cruzasse na rua com o grupo de rapazes responsavel pelo bullying que sofri na escola, quando era mais nova, falava com eles se falassem comigo, e como eu ja o ODIEI... mas não ignorava porque perdoei. perdoei, esqueci, segui em frente, segui tranquila e confiante e por cima de tudo mostrei que sou forte e não é qualquer coisinha que me afecta ao ponto de eu não conseguir ultrapassar.


Muaah @
Nota: post recente em baixo.

11 comentários:

Patric disse...

1

Patric disse...

2

Patric disse...

3

Pierre disse...

4

Pierre disse...

5

Pierre disse...

6

Chenrim disse...

Cumpri a promessa de mais de 6 comments...continua e tás perdoada! muahahaha

Maria Nena Freitas disse...

essse é o meu mal com o Peter. não o sou capaz de perdoar. quando me enervo com ele, seja porque motivo for, depois lembro.me qe ele já me fez istoo e aquilo, coisas que não estao perdoadas e fico bastante magoada.

Mas também nao consigo perdoar o que ele me fez por achar que sim. sou uma pesoa que precisa de explicções. uma traição para mim não é justificada com a verdade universal de "monogami é falso". eu sou mais que monogamica e nunca tive problemas. quero saber onde eu errei, onde ele errou, para o poder perdoar.

Os meus colegas do basico também me tratavam mal, também me batiam. Agora está em lisboa uma colega minha que junta sempre a turma toda. até esses. e eu vou. vou porque mudei, vou porque sei que eles faziam isso porque achavam divertido, porque queriam passar a imagem que eram valentes, faziam isto para nao fazerem a eles. mas isso está perdoado.

agora o shô peter.. esse... ai

Olhos Dourados disse...

Bem, também acho que guardar rancor não é nada saudável.

'C. disse...

isso não conta, Pierre :P

→ Calipso disse...

Se há coisa que não sou, e qe me orgulho de não ser porque não gt de pessoas assim, é rancorosa. Eu ando com a vida e pronto. Claro que há coisas que se passaram que não perdoei às pessoas mas cago e ando para a frente e não penso nisso. Life goes on e pronto xD