11 de maio de 2010

' Esta cena da visita do Papa... / Desafio 20 dias 20 Músicas - Dia 3 - Uma canção que te põe feliz.

bom, eu estava a tentar evitar falar sobre o assunto do Papa aqui, mas hoje, nas 2 horas e meia que demorei a chegar a casa devido às perturbações na circulação dos transportes, tive mais que tempo para pensar no assunto. é isso e a merda do futebol. logo duas coisas seguidinhas para parar o país inteiro. estou convencida que não é a cortar ruas que me vão convencer a converter-me em católica ou benfiquista. é como um amigo meu acaba de me falar no msn (e não podia concordar mais com ele): "mas porque é que a religião e o futebol põem toda a gente parva?!", ou, o que me deixou mais perplexa, foi que ele viu "uma mulher que estava a cortar preservativos e a mandá-los para o chão". ok...

acho um pouco exagerado todo este alarido por causa da visita do Papa. apesar de respeitar (com todo o respeito que todas as religiões merecem), acho que foi (e é) um verdadeiro exagero. interromperem a circulação automóvel ainda compreendo. agora, o metro? mas o "PapaMóvel" (esta palavra faz-me rir tanto), onde Sua Santidade desfila com todo o ouro que cobre o seu corpo, por acaso vai ao metro? 


pessoalmente, não ligo muito à religião. acredito que deve haver algum ser superior a nós humanos, mas daí a ser o "deus da igreja católica" ou qualquer outro... o irónico é que fui educada sob a religião cristã. sou baptizada, andei na catequese e tenho a 1ª comunhão porque os meus pais decidiram por mim, eu nem tive escolha, era tão pequena. andei até ao 12º ano em escola católica (colégio), porque o meu pai achava que "a educação era boa", e de facto era, mas o resto era dispensável. acho que foi por ter andado tantos anos a ser educada daquela forma que, de certa forma, ganhei aversão. para começar, os valores da igreja católica nunca me atraíram muito; depois, a forma como eles nos tentavam "impingir" também não era a melhor. porque era mesmo impingir na lateralidade do seu significado. tipo aqueles vendedores chatos que não largam enquanto não compramos ou até mesmo as testemunhas de jeová. em vez de nos transmitirem lá os seus valores e deixarem-nos decidir por nós mesmos, nâo; quase que nos obrigavam a pensar daquela forma. éramos obrigados a ir a missas, uma "mini-missa" todas as semanas, chamada "formação cívica", que consistia basicamente em 45 minutos a cantarmos musiquinhas como "guiado pela mão de jesus eu vou, sigo como ovelha que encontro pastor" (god, era tão deprimente, a mulherzinha lá no altar a puxar por nós e nós todos a morrer porque ninguém tinha paciência para aquelas cantorias às 8h20 da manhã), e uma missa "a sério" todos os períodos, e antes de cada missa éramos obrigados a confessar-nos. quando chegava a altura de me confessar, nunca sabia o que haveria de dizer. aquilo que a igreja entende como pecado, para mim não faz sentido ser pecado e, juro, não sabia o que havia de dizer, não tinha nada para "confessar". eu e os meus colegas até ficávamos a falar e a trocar ideias sobre o que é que haveríamos de dizer, enquanto esperávamos.. e "para mal dos meus pecados", apanhava sempre (mas sempre!!!!) padres que me perguntavam se eu era "uma menina pura" e que, depois de eu responder que sim (porque na altura era), me diziam "tens de te manter assim, minha filha, até ao casamento, para seres uma boa esposa, uma boa mãe e uma boa dona de casa" (ler isto com ênfase nos "s"s). como se isso já não bastasse, ainda davam a entender que, se assim não fosse, eu ia para o "inferno" quando morresse. ora bolas! enfim. se calhar, eu até tenho a impressão errada da igreja. mas foi a impressão que me passaram durante toda a infância e até ao 12º ano. e se houve coisa que aprendi neste 1º ano de psicologia é que as coisas com as quais somos confrontados na infância e na adolescência, moldam a nossa forma de pensar na vida adulta. quando digo ao meu pai que "não acredito em deus", ele ainda tem a lata de me dizer "isso é da idade, isso passa-te". pois. são estas e outras que me revoltam.

andei uns tempos, na minha adolescência, a debater-me com essa questão. não me identificava ABSOLUTAMENTE NADA com os valores da Igreja Católica, mas achava que tinha de ter alguma religião. cheguei mesmo a pesquisar imenso sobre o assunto. mas depois "deixei pra lá". actualmente, lá está, não tenho religião. oficialmente, sou católica, pois sou baptizada e tenho a primeira comunhão, mas pessoalmente acho que não tenho religião nenhuma, e se tivesse, concerteza não seria a cristã. nem praticante nem não-praticante.

passei a tarde toda a falar disto com o Bruno.

(estávamos a ver o PapaMóvel a passar por Lisboa (!!!!)):
"opa, podes não ligar, mas também não faças piadinhas parvas, ao menos respeita"
"oh, todas as religiões são más"
"nenhuma religião é má, os actos que algumas pessoas fazem em prol da religião é que são maus"
"oh, o hitlerismo era mau"
"o hitlerismo não existe e o nazismo não era nenhuma religião"
(depois continua com as piadinhas)
"sabes como se chama um judeu saído do forno? Pitta Shoarma"
"já imaginaste o Papa a comer McDonalds?"
"provavelmente alguém lhe há-de levar um BigMac de vez em quando, mas está a cometer o pecado da gula, LOL"
"será que o Papa tem apetite sexual?"
"no outro dia ouvi uma piada... 'eu achava que eram as crianças que comiam papa, mas pelos vistos o papa é que come as crianças...' " (por causa da questão do Papa ter defendido os padres pedófilos)

claro que sim, claro que sim a tudo isso.
opa, ao fim e ao cabo o Papa é um ser humano como todos os outros. nem percebo porque é que o chão que ele pisa quase que vira ouro. assim como assim, sempre preferia o Papa antigo, antes deste. tinha um ar mais querido, daqueles velhotes amorosos, e não era contra o uso do preservativo nem tinha nada contra os homossexuais.

"vamos fazer sexo à frente do Papa (na televisão)?"
"estava a pensar no mesmo"

e pecámos. deus, pecámos! ui, se pecámos... tenho de me ir confessar x)

adiante e brincadeiras parvas aparte. com todo o respeito (porque apesar de não ligar nenhuma, tenho um enorme respeito por quem tem fé e, no fundo no fundo, acho até melhor que milhares de pessoas acreditem em algo, mesmo que não seja o que eu acredito, do que não acreditar em nada de todo), acho que esta visita do Papa a Portugal está a causar um desaforo desnecessário. demorei duas horas e meia para chegar a casa, nem tive dança porque a professora não pôde ir (e aposto que está relacionado com isto)!

"como é que depois de milhares de anos, e cruzadas e inquisições, eles ainda não perceberam que o fundamentalismo é mau?" - vindo de uma pessoa que andou no mesmo colégio católico e hiper-conservador que eu.

e já escrevi mais do que queria acerca do assunto.
-- // --



Desafio 20 dias, 20 músicas - Dia 3
Uma canção que te põe feliz



se esta música me põe feliz? claro. claro que sim :)




Muaah @

isto dos blogs anda na moda. um dos meus melhores amigos criou um blog :)
e por falar em blogs, estou apaixonada pelo blog deste menino ;)

17 comentários:

Unique Car Styling disse...

Só tenho uma coisa a dizer... Vai-nos sair do bolso...

Botas disse...

Hitlerismo é muito mau, um dia cheio de piadas e de boa comida.=P
Como eu disse baby, havia mais gente quando o Benfica foi campeão do que com a vinda do Papa.xD

<3

ps:fazes me passar frio amor.xD

Anónimo disse...

Ah e tal, pecado e perversão e coiso e tal, faz isto senão vais ao inferno, matar em nome de Deus, ...

Tenho a mesmo opinião que tu e também tenho a 1a comunhão.

E peço desculpa a todos os fieis em alguma religião mas não consigo acreditar em algo assim, principalmente quando cresceu por falsidades e conveniências, aproveitando-se na sua 'inocência' ética e moral para ser usada como uma arma em que sangue é derramado ...

Não consigo, talvez seja superior à minha inteligência.

Jo disse...

Nao me vou pronunciar, isto porque respeito a tua opiniao e a dos 350 (mil) bloggers que escreveram sobre isso. Isto porque se eu nao tivesse entrado pelo caminho X, a esta altura estava a dizer exactamente o mesmo que tu. Mas entrei, e agora percebo algumas coisas, outras não. Os recursos e dinheiro (nosso!!!!) gasto com isto, não se justifica. O alarido sim, justifica-se, afinal para quem tem fé, é o representante de Deus que os vem abençoar, e isso so acontece 1 (ou 2) vezes na vida. A Cesar o que é de Cesar, e nao basta respeitar, penso que é necessario um esforço adicional para percebermos as motivações dos outros (mesmo que não correspondam às nossas). E so escrevi isto aqui porque ja tou farta de ver cronicas-massivas sobre o papa, em que parece que todos os Bloggers leram o mm livro anti-papista, e não me apetece gastar o meu latim com gajos que nao conheço de lado nenhum. Entao deixo o meu ponto de vista ctg, gatxinha :)

PS . afinal pronunciei-me!

Licenciatura disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
' Claudjinha disse...

Botas --> não percebo essa cena de compararem os apoiantes de uma e outra coisa. é que não têm nada em comum, excepto pararem o país todo. fora isso...

DC disse...

Revejo-me completamente nas tuas ideias sobre a religião!

Eu tb em tempos andei na catequese...
tristes tempos!...
Mas na altura era um puto parvo,e por isso recusava sempre confessar-me...
Até que um dia o padre chamou os meus pais e falou-lhes da minha "situação". Os meus pais ficaram tristes mas tiraram-me de lá...ufa!

***

OMOPrjct disse...

Tanta coisa que a religião não se mistura com a política, e afinal, é este espectáculo todo em volta do Papa. Receberem como Chefe de Estado ainda se papa, porque ele o é, mas deixar de manter a separação entre Estado e Igreja é demais... E penso que a população tuga, cada vez mais começa a sentir desta forma... Enfim...

O futebol... Eu até sou do Sporting, por isso, não me aqueceu ou arrefeceu lol

Espero que tudo o resto esteja bem ;)

Beijokas,
Vasco**********

PS: Ainda bem que o novo aspecto do blog é do agrado :) Ainda ando com experiências, mas caminha para um resultado final bacano lol

****

Verinha disse...

Pah eu cá faz-me alguma confusão esta cena toda!

Então mas o estado não era suposto ser laico?! E depois dá meio dia de tolerância de ponto ao pessoal para ir à missa do Papa em horario pós-laboral (ou quase pós-laboral vá).

Então e não era proibido ter crucifixos nas salas de aula das escolas publicas?! A escola publica também não era laica?
Sim, a escola pública é laica, mas levam os meninos a ver o Papa!
É tudo um bocado contraditório não?!

No minimo é cómico, muito cómico!

Doctor Who disse...

Ola Claudia, concordo praticamente com tudo que relatas te aqui...eu ate iria mais longe ,mas nao estou para lançar polemica, de qq maneira quero perguntar te, qual foi o colegio que frenquentas te?

B! disse...

Também não liguei a nada da visita do Papa apenas vi algumas imagens na televisão. Quanto ao Benfica já não se pode dizer à mesma coisa porque de facto fui uma das muitas pessoas que festejou o título =)

Quanto ao meu blog como referi apenas está numa fase de pausa. Quando acabar os exames logo decido o que fazer com ele. De qualquer das maneiras irei continuar na blogosfera a comentar os meus blogs favoritos ;)

beijinhos

Olhos Dourados disse...

Eu acho muito bem que as pessoas que querem tenham o direito de o poder ver, já que ele vem cá a Portugal, é de aproveitar. A parte de nos sair do bolso é que já não acho piada.
Está aí uma frase que diz tudo: as religiões não são más, algumas pessoas é que são. É como em tudo na vida, há os bons e os maus!

Ricardo disse...

Ora bem. o papa (eu fico com urticária de pensar nesta palavra... mas há uma conspiração e toda a gente se lembrou dele estes dias xD)
Tipo quem quer ver veja, a mim calha bem q amanha não tenho aulas à pala disso. por acaso ri me bastante com aquela parte das piadinhas xD e nem me sinto minimamente mal com isso. O Papa é um homem normal como tantos outros, pode se fazer piadas sobre ele tão bem como sobe outro qualquer.

E músicas... uma que me põe sempre feliz : http://www.youtube.com/watch?v=EE7XkaFFtGE ADORO ESTA MUSICAAAA

e outra que gosto muito também :
http://www.youtube.com/watch?v=IfAoUwB2Xkc

caditonuno disse...

Voltei... finalmente! Confesso que já tinha algumas saudades, mas andava a adiar a "coisa". Agora deu-me na panca e já estou pela blogosfera novamente.

Vou ainda mudar algumas coisas, mas será quando eu tiver mais um pouco de calma, pois o trabalho vai apertando.

Quando quiseres aparece pelo meu blogue. Fico à tua espera.

' Claudjinha disse...

Doctor Who --> desculpa, mas acho melhor não identificar publicamente o nome do colégio.

Alex Page disse...

AT LAST <3

Marga disse...

Mesmo com mil coisas para estudar sobre a Guerra Fria, apeteceu-me vir cuscar umas coisas mais antigas (porque a descoberta do teu blog é algo relativamente recente até hehe) e tinha de comentar este texto porque me identifico bastante. Também andei num colégio católico, de freiras, onde também nos são impingidos os valores da Igreja, contudo adorei lá estar porque o que era realmente mais importante lá era o espírito de Dom Bosco, de união e companheirismo, pelo que penso que foi uma escola bastante boa no que toca a transmitir valores.

Adiante, eu acredito que não seja preciso acreditar em Deus, ou sequer na existência de algo que nos transcende, para se ter fé. Eu sou apoiante do ter fé em nós próprios, acreditar mesmo quando tudo nos diz que não conseguimos. E pelo que vi por aqui, acho que sabes muito bem do que falo. É a fé mais valiosa, na minha opinião.

Este Papa e a Igreja sinceramente a mim não me convencem. Para uma religião que é tão a favor da igualdade, do respeito, da fraternidade, da paz e amor, os seus seguidores e representantes parecem fazer o contrário (sem querendo ser extremista). Cada um é livre de fazer o que quer desde que isso não prejudique ninguém. Pelo menos é o que eu acho :)

Por fim, quanto ao Benfica e à vinda do Papa... A melhor piada que ouvi foi:

"Para que é que eu vou ver o Papa ao Terreiro do Paço, se vi Jesus no Marquês de Pombal?"