22 de julho de 2011

' De me reduzirem àquilo que eu faço.



Se há coisa que eu detesto, é quando as pessoas acham que, por eu ser estudante de psicologia, tudo o que eu faço na vida, tudo o que eu sou, tudo o que eu gosto, esteja relacionado com psicologia.

O exemplo mais flagrante foi quando fui ao programa "Querida Julia" com o Mulher XL - projecto de moda que tenho - e a Júlia me perguntou "portanto, a Cláudia é estudante de psicologia", e depois disse "mas moda tem a ver muito com psicologia". Claro que eu disse que "sim, claro", estava em directo na televisão num canal nacional genérico, mas no fundo no fundo, detestei aquela afirmação, porque me dei conta que há imensa gente que faz isso. Já a mulher que me tinha entrevistado antes de ir ao programa, por telefone, me tinha falado nisso, qualquer coisa do género "então, mas a Cláudia faz o quê?", "estudo", "o quê?", "psicologia", "ah, e já se imaginou a fazer alguma coisa com as duas áreas, a moda e a psicologia? se calhar há muita gente a precisar de ajuda, a Cláudia podia conciliar". Quer dizer, como quem diz que as duas coisas TÊM QUE ter alguma coisa a ver com a outra, como se fosse uma espécie de imoralidade eu estar a tirar um curso que pouco tem a ver com um projecto aparte, que tenha fora dele.

Quantas e quantas vezes, em conversas, depois de me perguntarem "o que faço" e de eu responder que estou a tirar um curso de psicologia, as pessoas encadeiam o resto da conversa com base nisso? Tudo o que falamos, a seguir, tem que ter a ver com psicologia. "Tu que estudas psicologia deves saber", é o exemplo mais forte.

Ou seja, basicamente, definem-me pelo curso que eu tiro, pelo que "faço". Eu não posso ter outros interesses, hobbies, projectos, objectivos... Nãão! Tem tudo a ver com psicologia. Porra! eu sou muito mais do que psicologia. Na realidade, o meu curso, apesar de estar a ser tirado por por gosto pessoal genuíno, é apenas uns 5% ou 10% daquilo que me define e completa a minha vida. Não, não me imagino de todo num consultório a atender pacientes - e portanto detesto que me digam "quando fores psicóloga, tens de falar assim e assado" - não me imagino a exercer psicologia de todo. Adoro o meu curso, mas sinceramente não me vejo a trabalhar nele. Na realidade, ainda não sei o que quero da vida. Mas as pessoas assumem sempre que eu vou ser psicóloga.
Pior, é quando assumem que, por eu estar em psicologia, sei de tudo. "Tu que estudas psicologia deves saber", ou "tu que estudas psicologia, diz-me como funciona isto", ou "uma amiga minha está com problemas e quer que fales com ela, ela lê o teu blog e sabe que estás a tirar psicologia". Like, really? Eu não sou Freud.

É que dá mesmo vontade de deixar de dizer às pessoas que estudo psicologia. Parece que deixam de ver o que sou, enquanto pessoa, no meu todo, uma pessoa com paixões e interesses nas mais variadas áreas, para verem apenas uma pessoa que estuda psicologia.

5 comentários:

Menina disse...

Acontece o mesmo comigo em veterinária, mas eu não importo =) Adoro animais e o curso representa uma fatia muito grande da minha vida,portanto até gosto que o façam lol

→ Calipso disse...

Como sempre, Calipso concorda com Claudjinha (qe novidade). É qe as pessoas tmb me definem mto pelo curso qe tiro. Entao os meus pais, quando tamos a ter discussoes, e logo "tu qe tas em psicologia devias saber isso". E eu "mas eu tou no primeiro ano, nao aprendi um crl !". Alias, se ha coisa qe nao me sinto confortavel a flr é mesmo de psicologia pq sinto qe nao sei nada de nada, ainda qe tenha la tado um ano (mas penso qe foi pq, realmnt, nao aprendi mesmo nadinha e so me baldava as aulas). No entanto, noto qe estou a ficar mais madura, mais crescida, qe as pessoas vem ter cmg para flr e pergunto-me se isso nao sera consequencia natural do crescimento ou se esta relacionada com o meu curso. E penso qe seja mesmo pelos livros qe tenha andado a ler, as ideias qe tenho andado a formar... Ou seja, se as xs me comporto como psicologa é mais pq sou auto-didacta do qe propriamnt por freqentar a faculdade de psicologia --'

Anónimo disse...

Tu que andas em psicologia deves de ter uma ideia do porquê disso acontecer...

S* disse...

Seria de esperar que o curso significasse mais para ti... mas as pessoas têm de deixar de pedir consultas gratuitas. ;)

Botas disse...

Pobre Julia pinhiero.xD

<3