12 de abril de 2009

' Grito do Ipiranga.

O meu grito do Ipiranga - grito de independência - está a concretizar-se aos poucos. Comecei a ficar farta que o meu pai tenha ou não de DEIXAR fazer as coisas. Eu não quero nem vou, e recuso-me, a dizer 'o meu pai não deixa' com 19 anos de idade. é isso mesmo ! a cerca de duas semanas de fazer 19 anos, eu lancei o ultimato ao meu pai: a partir de agora, eu não vou pedir autorização para fazer as coisas que quero, desde que, claro, isso não implique que ele pague alguma coisa ou me dê boleia para algum lado. a única coisa que me dá é a semanada que é minha por direito (LOL), de resto... 'VOU passar a usar lentes de contacto' , ' VOU dormir a casa da ... ' , 'VOU sair esta semana...' , 'VOU fazer aulas de dança', 'VOU passar o fim-de-semana aqui ou ali...' , 'VOU dormir a casa da minha mãe', 'VOU para Lisboa de transportes públicos'., 'VOU para casa de comboio' etc etc. claro que só numa situação perfeita, eu diria 'VOU' e não 'posso ir?' ou 'posso fazer?' para TUDO. mas quando implica 'dá-me dinheiro para' ou 'leva-me a' tem de ser sempre 'posso?'... mas de resto... acho completamente ridículo eu NÃO PODER ir de transportes para Lisboa, NÃO PODER ir sair à noite um pouco todas as semanas, NÃO PODER ir dormir a casa de uma amiga quando vamos sair, NÃO PODER usar lentes de contacto. estou farta de mentir coisas ao meu pai, de omitir ! de dizer que vou fazer trabalhos de grupo, quando não vou ! de dizer que vou apanhar este e aquele autocarro, quando na verdade tenho boleia de carro ! porque se dissesse o que ía fazer realmente, ele não deixava ! é ridículo !

nem sei porque não tomei esta decisão antes... o meu pai achou piada à maneira como eu me impus e até levou na boa. diz que eu pareço uma daquelas feministas histéricas a gritar pelos seus direitos e a utilizar a palavra 'emancipação' demasiadas vezes, e depois ri-se ... mas ainda bem. viva o Grito da Independência... :) finalmente as coisas estão a mudar ! e se tudo correr bem... já vou ter a carta de condução na mão no fim do Verão :D (só por isso acho óptimo não irmos passar férias fora e ficar aqui eheh). e agora só por isto, VOU A UMA FESTA dois dias antes do meu aniversário. supostamente 'não podia para fazer uma pausa antes do meu jantar' e dois dias antes do meu aniversário é uma 4ª feira, mas ... é a festa de uma das minhas maiores amigas, e se ela decidiu que há-de ser a meio da semana, que seja. EU VOU! ontem à noite dormi em casa da minha avó, porque EU DECIDI ASSIM, porque no Sábado queria estar em Lisboa. o dia todo o meu pai disse 'essa tem qualquer coisa na manga. tu não queres ir dormir a casa da tua avó só porque sim. por isso, ou me dizes o que é, ou não vais'. eu não disse o que era. bem, disse depois. ele nem ficou chateado. e eu aproveitei pra dizer 'vês, podes confiar em mim.... quando eu digo que vou, é porque vou, e é porque não vou fazer nada de mal'. o 'não posso' passou à história.

- Aparte -


o meu pai obrigou-me a ficar com ele o dia todo de 6ª feira, ("Santa") e obrigou-me a comer peixe ao almoço e ao jantar. (apesar do meu Grito do Ipiranga, ainda há coisas que ele consegue controlar). não é que eu não goste de peixe, foi mais pela 'atitude'. eu perguntei-lhe se ele também não queria ir à Missa ou rezar antes de comer -.- é que eu não sou católica. acredito num Deus, não NO DEUS único nem no Deus que a Igreja Católica retrata. mas isso são conversas para outro post. o que interessa é que eu não ligo nada a estas coisas. nem Natais nem Páscoas, para mim é igual ao litro, são apenas feriados e épocas em que as pessoas param durante 2 semanas por causa de um dia, vão para a santa terrinha, fazem grandes almoços de família. eu fico cá pela minha santa terrinha (Lisboa), não compro presentes pra ninguém no Natal, não fico mais solidária no Natal do que nas outras épocas só porque é Natal, não tenho uma família propriamente grande e muito menos unida para celebrar essas coisas, ninguém me oferece amêndoas na Páscoa, ninguém me deseja 'Boa Páscoa' , não deixo de comer carne na Páscoa, não vou à missa nem uma vez por ano (excepto quando andava nos Salesianos, eles OBRIGAVAM-NOS A IR - deve ter sido por isto que fiquei com aversão). mas o meu pai teve uma revelação este ano e ficou chocado (e ainda teve a lata de dizer 'isso são coisas da adolescência', quando eu nunca na vida me lembro de ser católica, nem antes da adolescência): eu não sou católica. ele achava que eu era, porque sou baptizada e tenho a 1ª comunhão. pois, mas quando eles me baptizaram eu nem sabia falar. e quando fiz a 1ª comunhão tinha 8 anos ou assim, sabia lá o que estava a fazer, nem me lembro bem, só me lembro porque há fotos a testemunhar tal acontecimento. o dia todo a anhar... acham normal?! só porque é páscoa?! e o mais estúpido foi que só almoçámos (peixe) e jantámos (peixe) juntos. durante o resto do dia esteve cada um pra seu lado. grande festejo. manca-te !! não vou festejar uma festa com a qual não me 'identifico'. a isso chama-se Hipocrisia.

Muaah @
*12 DIAS*

15 comentários:

SandroC disse...

Um dia destes faço um grito do Ipiranga desse genéro com a minha mãe 8DD LOOOL Pode ser que resulte xD

Joaninha disse...

Se nunca traíste a confiança do teu pai, ele não tem razões para não te deixar fazer certas coisas, ainda por cima já tens 19 anos... Acho bem que marques a tua posição, ou então daqui a uns tempos vias-te numa "prisão" em que o guarda era o teu pai :b

Menina disse...

Vais ver que ele aos poucos se torna mais permissivo =) Mas acho muito bem que dês esse grito lol às vezes também é preciso..

beijo*

Pikiiii disse...

Eu também tive que fazer isso aos meus pais, já num podia com eles, sufocavam.me demais. Até que um dia dei um par de berros e tudo acalmou. Hoje em dia faço o que quero com conta peso e medida e eles confiam em mim.

olha querida não comi do almoço até à hora do jantar porque não tinha fome mesmo. Não se trata da dieta. LOL è porque passei a tarde na festa e o cheiro das farturas enjoou.me para caraças.

Beijinhoooos*

Olhos Dourados disse...

Ser pai deve ser difícil! Digo eu. Acho que tens o direito de saieres e essas coisas, mas por outro lado acho que fica bem dizeres ao teu pai onde vais e se vais dormir a casa ou não, para ele não ficar preocupado, uma vez que vivem juntos.

Relativamente à Páscoa, eu sou católica, vou à missa todos os domingos, andei na catequese e essas coisas.Sabias que se pode comer carne? O objectivo náo é deixar de comer carne, mas fazer o sacrificio, e pode nem ser a respeito da comida, pode ser sobre outras coisas que gostes de fazer e deixes de fazer. Imagina que gostavas mais de peixe do que de carne? Que significado isso ia ter?

Há muita gente mal informada sobre isso, provavelmente não vão à missa e depois confundem muitas coisas! Diz isso ao teu pai;)

"Sofi@" disse...

Parabéns, foi uma grande atitude que tomas-te.
Fazes bem, porque afinal já estás quase nos 19!
Já tas grandinha!
Beijo

B! disse...

A carta de condução dá sempre tanto jeito! Mal esteja operacional da perna esquerda começo logo as aulas!!

Quanto à Páscoa, sou católica mas acho estúpido o ritual de comer peixe. Penso que não é por isso que somos melhores ou piores cristãos!

beijinhos

trebaruna_666 disse...

todos nós a certa altura temos de dar o grito do epiranga por algum motivo. pode custar aos pais aceitarem k crescemos mas não nos podem prender tem de nos deixar "voar" só assim vms tornar adultos responsaveis e saudaveis. se nos fecharem vms precisar smpr de uma moleta pra vida pk não somos capazes de fzr as nossas coisas sozinhos.
por isso força no teu grito do ipiranga =)

beijinho*****

Cadinho RoCo disse...

Para início de conversa invista no carinho. Com carinho fica mais fácil, converse com firmeza com seu pai, mas carinhosamente. Passe pra ele o quanto é adulta, com carinho. Denuncie sua sensação de abafo, com carinho. Tudo com carinho, não poupe isso. Não tenho dúvida em afirmar ser este o caminho mais eficaz. Do contrário vai criar uma revolução muito mais rigorosa do que a situação exige pede e sinto não ser isso que pretende. Seja senhora da situação ao invés de colocar-se refém dela. Não pressione só porque se sente pressionada. Seja mais criativa e direi até competente. Vá pela rota do carinho.
Cadinho RoCo

RicardoN disse...

Oi. Prémios para si no meu blog (http://golfinhoalegre.blogspot.com). Passe lá quando quiser.
Muito sucesso!

Melhores cumprimentos

Verinha disse...

Acho muitissimo bem o que fizes-te! Parabéns pela coragem!!!
Gabo-te a paciência para teres aguentado até aqui!
O que acho é que deves sempre dizer onde vais e com quem vais para ele não ficar preocupado.
Aqui por casa também ninguém liga à páscoa por acaso não comemos carne porque não calhou, fiz caldeirada de lulas. Normalmente é carninha da boa lool.

Marta ツ disse...

Não sou católica, muito menos sou baptizada.
Na sexta feira santa comi carne contra as expectativas da minha familia que todos comeram peixinho.
A minha familia é toda católina, até a minha irma que não é baptizada, e eu sou aquela excepção. lol

beijinhos*

CG disse...

Os pais por vezes são demasiado protectores, mas apenas o fazem porque se preocupam. Acredita que era pior teres um daqueles pais que nunca quer saber onde andas, o que tás a fazer e se chegas ou não a casa. Tenho amigos com pais assim que davam tudo para ter pais "melgas".
Tudo tem de ter uma medida certa, tanto a protecção como a liberdade.
Big Kisses

Zega (MSN) disse...

Boa tarde! Eu sou membro da Associação "Miudos Seguros na Net", e costumo ver blogs de adolescentes para fins estatísticos e avaliações a nível dos perigos e das informações pessoais que estes contêm.
Tenho um comentário a fazer.
Quando o teu pai te dá dinheiro, não fazes "Grito do Ipiranga". Mas quando é para fazeres o que te apetece já o teu pai não tem nada haver com isso.
Então a minha questão e a seguinte:
Vives em casa do teu pai. Ele dá-te dinheiro (sem o qual não podias sair e fazer o que te apetecesse), ele é que te dá o que comer. E ainda achas que ele não têm nada haver com o que tu fazes e que és independente?
Mais dependente dele não o poderias ser. De independente não tens nada. Apenas te queres fazer de independente, que é diferente.
Trabalhas e ganhas dinheiro!? Pagas a tua casa!? Então esquece lá a "independência".
Porque não admitir que és dependente do teu pai, e não ficas grata pelo que ele te dá em vez de ficares preocupada se podes sair todas as semanas ou não? Isso não é independência, não ter que dar satisfação ao teu pai, e teres que andar a omitir as coisas. É falta de respeito, e mais que isso é atitude de uma rapariga que não sabe que precisa de ir ver ao dicionário o que significa independência e que talvez precise de crescer um pouco.
Ter 18 ou 19 anos não é poder fazer tudo sem pensar. É poder ter cabeça e capacidade para fazer as coisas sabendo as suas consequências.
Não te deixes influenciar pelos teus "amigos".
Desculpa o desabafo, mas é a minha opinião.

Ass: José Gaspar (Miúdos Seguros na Net)

'C. disse...

Zega, não tens de desculpar-te por dar uma opinião, apesar de ter sido de uma forma um pouco agressiva (lol). Estive a ver o site dos Miúdos Seguros na Net e acho bem que promovam essas iniciativas, mas com perigos reais e com miúdos mesmo, eu não sou uma miúda, não sou uma criança, por mais imatura e infantil que penses que sou e que até possa parecer, e o que escrevi aqui não é um perigo real.

Acho que confundiste tolerância e exigência de um pouco mais de liberdade (ou menos controlo) com desrespeito. Eu não desrespeito o meu pai e quero deixar isso bem claro. Se ele diz que 'não', obviamente que é não, e obviamente que eu lhe dou satisfações, digo onde vou e o que faço, pode não ser sempre, é verdade, mas omitir não tem a ver com desrespeito, antes com privacidade. Eu simplesmente revolto-me porque com a idade que tenho há coisas que ele 'não deixa' e eu não compreendo o porquê. Compreendia se eu alguma vez tivesse dado razões pra tal controlo e desconfiança. Mas nunca dei! Pelo contrário, dei SEMPRE motivos de confiança! Nunca me meti em confusões, nunca dei uma única razão pra tanta falta de confiança (e ele próprio admite que isso é verdade).

Talvez a forma como escrevi no blog tenha sido excessiva, mas não fiz mais do que apenas 'exigir' (de forma respeitosa) um pouco mais de tolerância. Acho que a certa altura todos os filhos pedem isso aos pais. E normalmente é antes de eles entrarem para a Faculdade (que é o meu caso).

Não, não me acho independente e sei que só o vou ser quando ganhar do meu próprio dinheiro. Até lá, tenho de ser extremamente controlada? Penso que não.

Mas Obrigada na mesma.

Cláudia.