26 de janeiro de 2010

' Eu sei, mas eu gosto de ti como se fosses!!!!

Todas as mães dizem aos seus filhos, quando ainda são crianças, que se não comerem o jantar ou se se portarem mal, o bicho papão as vem buscar durante a noite. (ou então vão buscar a colher de pau. ah, a famosa colher de pau!).

A minha mãe, tinha que ser mais original: dizia-me que era minha mãe adoptiva, e que a minha mãe verdadeira era a Mãe do Cacém - Cacém só para rimar com 'mãe'. (e Cacém é uma cidadela perto de Lisboa, em Portugal). A Mãe do Cacém foi, assim, uma figura mítica durante toda a minha infância. Se eu não queria comer, se mexia em qualquer coisa que não era suposto ou se simplesmente fazia uma birra, era "olha que eu vou ligar à Mãe do Cacém!" Enfim, a velha Mãe do Cacém. (e a velha colher de pau(*)). Pior do que inventar uma mentira tamanha à sua filha de 2/3 aninhos de vida, é mesmo mandá-la ao mar com uma bóia em forma de joaninha só para ela perder o medo da água.

Aqui há uns tempos, tive a ver uma das cassetes que os meus pais me gravaram quando eu era pequena (aí até aos 5 anos). (há pessoas que têm baby-blogs, eu tive direito a álbuns de fotos intermináveis, muitas das fotos de teor pornográfico, tipo eu completamente nua a mudarem-me as fraldas, com as palavras engraçadas que eu dizia, como em vez de "eu fiz", dizia "eu já fazi", e eu a chamar-me a mim própria pelo 3ª pessoa, tipo "a Cáudia quer nita" (=a Cláudia quer fazer xixi), e uma colecção de 20 cassetes onde consta a Cláudia nas mais variadas situações, a comer, a cuspir a comida para a câmara, a brincar, a mexer e a partir os bibelôs lá de casa. ainda do tempo em que os meus pais estavam juntos. o que se vê hoje, é uma menina de 19 anos mimada por ser filha única. brincadeirinha. não sou assim tão mimada =P ).

E numa das cenas, estava eu, com uns 4 anos, e a minha mãe, as duas na cama, e ela a dizer-me "sabes que eu não sou tua mãe verdadeira,não sabes?"

E não é que eu me saio com esta: EU SEI! MAS EU GOSTO DE TI COMO SE FOSSES!

se eu tivesse uma filha que me dissesse isto... eu morria e ressuscitava de felicidade. sou mesmo querida eu! (cof,cof).

Muaah @

(*) acho que a famosa colher de pau é conhecida universalmente. é aquela colher ameaçadora com que foi feito o jantar que as criancinhas não querem comer, como eu. muitas colheradas levei eu só para comer, quando a Mãe do Cacém não chegava, claro (quando era miúda era bera para comer, hoje é o que se vê). mas penso que isto é uma coisa ainda para quem nasceu antes de '95. sim que hoje em dia as criancinhas são tão mimadas e mal educadas, que não se pode fazer nem dizer nada, tadinha que fica logo traumatizada. tretas! umas colheradas levezinhas de colher de pau para comer, uns raspanetes (enfim, disciplina q.b., sem espancar, é claro) e muitos mimos, é tudo o que se precisa para se ser bem educada, como eu fui.

é impressão minha, ou eu tenho escrito imenso sobre a minha mãe? epa, é que a nossa relação fascina-me. ora estamos aos beijinhos, ora estamos aos estalos (maneira de dizer, não nos batemos mas quando nos dá para gritar, gritamos a sério). temos personalidades extremamente parecidas, por isso chocamos em muitos aspectos. mas ela é engraçada. ela diz coisas que me apetece pôr no blog. e mesmo assim não ponho todas. ai. eu amo tanto a minha mãe :)


(atenção que isto foi HÁ MUITOS ANOS ATRÁS. eu tinha aí uns 15 anos. lol.).

6 comentários:

Shakti disse...

Acima de tudo até acabas por ter uma boa relação com a tua mãe ...e o amor esse existe e é fundamental !!!

bj

Anónimo disse...

mãe há só uma =)

Carlos disse...

Oooh =') é lindo...

**

S* disse...

A tua mãe era um bocado peste, não? :P Foste querida foste.

Olhos Dourados disse...

Na minha altura era a colher de pau e o chinelo. A minha avó dizia muito era o homem do saco.

Alex Page disse...

Adorei este post :D
e concordo contigo no "se eu tivesse uma filha que me dissesse isto... eu morria e ressuscitava de felicidade." eras mesmo super querida... e essa ideia ai da tua mãe foi do melhor :D
e essa foto ta liiiiiiiinda mesmo :)