4 de outubro de 2010

' Ainda das relações.

Acho que uma relação pode ter sérios problemas quando não há uma definição clara de quem manda.



e com "mandar" não quero dizer que haja uma hierarquia, uma sobreposição, uma pessoa que seja mais importante que outra, uma pessoa cuja palavra seja decisiva, final e sem retorno. NADA DISSO. (mais uma concepção errada que a maioria das pessoas tem).

com "mandar" quero dizer uma pessoa que, mesmo sem querer, decide mais que a outra. em consequência, a outra cede mais. 

não faz mal e é saudável. porque são coisinhas pequenas:

- se vão almoçar ao McDonalds ou a PizzaHut
- se vão a pé ou de autocarro
- se se encontram no local X ou no local Y

é tudo uma questão de cedências, em coisinhas pequenas, é saudável.

e até é querido. meninas, não acham querido quando o gajo vos diz para escolherem se querem encontrar-se às 12h ou às 14h? é fofinho...e é uma forma de cedência inofensiva.

em geral, são as raparigas que mandam. nem sempre, claro. mas se for uma combinação rapariga com personalidade forte + rapaz querido e que gosta de agradar dentro do possível e não se importa de ceder em coisas pequenas, é sempre assim. eu sou a rapariga com a personalidade forte, e em quase todas as relações que conheço, é a gaja que manda. no fundo, reparem, ela manda em quase tudo. mesmo que ela seja passiva na cama (gostar de ser controlada): ele trabalha, mas é ela que diz o que fazer. "mais fundo, mais rápido, mais forte!". isso não é uma forma de mandar? xD

confesso que, nas minhas relações, sempre fui eu a dominante, a que mando mais (ou a que cedo menos). no entanto, também sou boa a ceder.

é preciso haver - como em tudo na vida, claro - um certo equilíbrio, no entanto, é bom determinar posições. em 10 vezes que almoçamos juntos, 8 sou eu que decido onde ou o quê. ninguém morreu ainda por isso, e funcionamos bem assim. porque um cede para ver o outro feliz por momentos, e se o amor for mútuo e verdadeiro, aquele que cedeu vai ficar feliz por ter feito o outro feliz. e esta dinâmica é linda!

não faz mal absolutamente nenhum e conheço relações que não funcionam por não haver uma distinção clara de quem cede mais vezes em coisas pequenas ;)

fiquem descansados, o Bruno domina/controla completamente noutros campos da relação... muahahahahah =P

Muaah @

7 comentários:

→ Calipso disse...

Adoro ler os teus textos... Vê-se mesmo que tás em Psicologia :p Tás em que ano? 3º? Beijocas**

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
→ Calipso disse...

Sei o qe isso é, porque disseram-me "a diferenca entre os caloiros e os veteranos e qe os caloiros vao as aulas e os veteranos nao" haha

Quando aqilo dos coments, nao te preocupes uma vez qe agora com a faculdd, nao sobra mto tempo pa postar (mas pa ir ao face sim LOOOL).

Anónimo disse...

Na minha opinião, não tem necessáriamente de existir alguém que cede mais e alguém que manda mais. Acho perfeitamente conciliavél que cada um ceda em determinada coisa, do estilo escolhemos ir ao mac e nao a' pizza porque tu querias entao agora vamos de metro e nao de autocarro porque eu prefiro (este exemplo é idiota obviamente mas acho que percebes o que pretendo dizer) acho que é a maneira mais facil de se encontrar um equilibrio.
Embora os rapazes tenham sempre uma maior facilidade em ceder que as raparigas.

Anyway, gostei do poste e gosto muito do teu blogue :)

S* disse...

Estás errada. Têm de mandar os dois na mesma medida... um numas coisas, outro noutras... mas não pode haver ninguém a mandar mais.

Botas disse...

Andas a vestir as calças na relação.xD

<3

Anónimo disse...

És uma merda sexista (e com um estilo engraçado mas um gosto musical terrível - incrível combinação, já agora). E isto é escrito por um homem heterossexual e esta parte só interessa para a parte de seres uma merda sexista.