7 de fevereiro de 2011

' Decisões.



Devido aos últimos acontecimentos, hoje fiz mais ou menos um plano geral dos meus planos a longo-prazo para os próximos dois anos (e qualquer coisa, uns meses). Afinal, eu preciso dar um jeito na minha vida!

TRABALHAR (part-time que já arranjei) + AULAS (2º ano Licenciatura, que já começaram) - juntar dinheiro (de hoje até Julho/Agosto 2011) --> ERASMUS em HOLANDA (Setembro 2011) --> voltar a Portugal (Janeiro/Fevereiro de 2012): AULAS (3º ano Licenciatura) + TRABALHAR (o mesmo part-time, ou outro) - juntar dinheiro/repôr os estragos financeiros do Erasmus --> COMPRAR UM CARRO em 2ª mão com meu dinheiro (por volta do Verão de 2012) --> TRABALHAR MAIS + Acabar LICENCIATURA Psicologia (já decidi que vou tirar um ano extra para cadeiras que vou deixando em atraso e que de certeza que vou deixar em Erasmus, um ano a mais não me faz confusão e ainda me dá mais tempo para pensar no que quero realmente, que ainda não tenho a certeza) (portanto, até ao fim do ano lectivo de 12/13, em 2013) --> TRABALHAR + MUDAR-ME PARA CASA DA VERA (sempre quis partilhar casa com uma amiga, a Vera é a ideal (ela concorda), mas claro que isto só para daqui a coisa de ano e meio). Nessa altura já vou ter 23 anos. E eu que já me sinto velha e ainda não fiz os 21.

Mas claro que há um plano B: caso não seja colocada em Erasmus este ano, saltar essa etapa e fazer tudo o que está planeado para depois disso, e candidatar-me depois no último ano de Licenciatura.

Para além desses planos gerais, também decidi coisinhas mais pequenas, como por exemplo, vou começar a fazer exercício físico, não que queira emagrecer, porque adoro o meu corpo como ele é, mas sim por uma questão de saúde. Por isso queria inscrever-me em aulas de natação, e natação porquê? porque não me faz suar, e uma das razões por que eu detesto desporto/exercício é mesmo por isso, porque detesto sentir-me nanhosa cheia de suor.

TENHO UM MUNDO PARA CONQUISTAR!... não quero ficar para sempre na casa da mamã e a ter de pedir 15 euros todos os meses para comprar o passe do autocarro. estou muito farta disso. E também estou farta que ponham em causa e/ou contestem as minhas decisões e opções, ou que me digam o que "devia fazer". O que devia fazer só eu sei.

Quanto ao assunto de baixo, estou a dar-lhe o Silent Treatment e não falo com ele, não atendo as chamadas, não respondo às sms's. Para ver se é desta que ele acorda e que eu vou fazer pela minha vida, se ele não quiser fazer pela dele... eu tenho de continuar, acompanhada ou sozinha, no fim das contas a única pessoa com quem posso contar verdadeiramente é comigo mesma. Preferia acompanhada, por ele, claro, gosto tanto dele!... Mas não acredito em "amor e uma cabana", sinceramente, o amor não chega. Hoje vi que ele se inscreveu nalgumas cenas, mas vê-se logo que nem sequer leu: inscreveu-se para coisas na Venda do Pinheiro e em sítios que nem sequer ficam em Lisboa nem perto de onde ele mora. ele fez isso por causa do meu Silent Treatment, não porque quis realmente, não porque esteja realmente interessado, nem sequer leu a oferta. Não gosto de ser a má da fita, por isso vou lavar as minhas mãos desse assunto. O que quer que aconteça agora está nas mãos dele.

Custa muito, sinto-me angustiada. Andei o dia todo com um nó na garganta e um aperto no coração, porque não me faz sentido, neste momento, acabar com ele. Provavelmente, está na altura de começar a pensar em deixar esfriar as coisas por si mesmas. Mas ainda estão muito quentes, e já estou com saudades dele. Custa-me sequer pensar nisto, porque há coisa de um mês atrás, e apesar de tudo, eu achava mesmo que ia ser para sempre. Apetece-me chorar só de pensar que é cada vez mais possível, e nunca foi tão possível na minha cabeça, acabar com ele. É o que menos quero.

Mas também me sinto com vontade de mudar a MERDA DE VIDA QUE TENHO TIDO. Ele tem sido a minha felicidade em quase tudo, mas e agora, que quero evoluir na vida? Não posso ficar presa a uma pessoa que não quer evoluir comigo. Até podia deixar andar, que é o que vou fazer por agora, e para de me preocupar com coisas que não é suposto ser EU a preocupar-me, mas estou numa fase em que não consigo deixar de pensar no meu futuro. Sinto-me triste mas com energia.

E se eu não começar a pensar na minha vida e a começar a construi-la AGORA, quando será?
Já não sou nenhuma criança e está na altura de tomar algumas decisões a sério, parar de ver a vida a passar-me ao lado e começar a vivê-la.

(mas queria vivê-la com ele... sou uma romântica incurável, não dá para mudar isso, o coração ganha sempre à razão).

5 comentários:

OMOPrjct disse...

E acho que ninguém poderia ter dito melhor "se eu não começar a pensar na minha vida e a começar a construi-la AGORA, quando será?"...

Deste todas as respostas do mundo a ti mesma... Seja lá o que acontecer, a tua felicidade está ali, ao teu alcance, e só tu a podes alcançar; com ou sem companhia, como dizes... E és menina para que tudo corra maravilhosamente.

Tudo de bom, Cláudia...
Bjinho**

Vasco

DC disse...

Deixa lá, quando menos esperares irá aparecer alguém que tenha a tua pedalada, que te acompanhe nas tuas ambições...

Kiss***

Nita Pirolita disse...

O tempo dirá o que é melhor! :)

Anónimo disse...

segue o coração

→ Calipso disse...

Assim é que é querida ! Conquista o mundo :D